O Uso do Valor Justo e suas Relações com os Valores de Mercado das Instituições Financeiras

Autores

  • Samir Sayed Universidade de São Paulo (USP)
  • Bruno Meirelles Salotti

Palavras-chave:

Valor Justo, Bancos, Instrumentos Financeiros, IFRS, Valor de Mercado

Resumo

A discussão acerca da contabilização plena ao valor justo, principalmente no tocante aos instrumentos financeiros ganha força nos normatizadores internacionais (IASB e FASB). O objetivo principal desse artigo foi estudar as relações dos valores de mercado, dos patrimônios líquidos contábeis e da utilização do valor justo como base única de mensuração para ativos e passivos financeiros nos bancos listados em três importantes bolsas de valores que requerem ou permitem o arquivamento de demonstrações financeiras no padrão IFRS, a BM&FBOVESPA, a LSE e a Euronext no período de 2004 a 2011. Mais precisamente, sob a seguinte ótica: se o uso de uma contabilidade plena ao valor justo torna os patrimônios contábeis mais próximos dos valores de mercado das instituições. As análises foram efetuadas tomando a amostra conjuntamente, segregada por bolsa e também por porte a um nível de significância (?) de 5%. O procedimento estatístico utilizado foi o de confecção de Testes de Hipóteses de Médias para Amostras Emparelhadas (Wilcoxon). Os resultados dão indício que o uso do valor justo como base de mensuração única aproxima os valores contábeis dos patrimônios de seus pares de mercado, porém sem significância. Isto é, contabilizar ou não todos os instrumentos financeiros ao valor justo não impacta o patrimônio líquido e o aproxima, porém de maneira muito discreta ao valor de bolsa.

Biografia do Autor

Samir Sayed, Universidade de São Paulo (USP)

Doutorando em Contabilidade (FEA-USP)

Downloads

Arquivos adicionais

Publicado

2015-05-11

Como Citar

SAYED, S.; SALOTTI, B. M. O Uso do Valor Justo e suas Relações com os Valores de Mercado das Instituições Financeiras. Contabilidade Vista & Revista, [S. l.], v. 25, n. 3, p. 15-37, 2015. Disponível em: https://revistas.face.ufmg.br/index.php/contabilidadevistaerevista/article/view/2085. Acesso em: 24 nov. 2020.