DIÁLOGOS ENTRE A PSICODINÂMICA E CLÍNICA DO TRABALHO E OS ESTUDOS SOBRE COLETIVOS DE TRABALHO E PRÁTICAS ORGANIZACIONAIS

Ana Magnólia Mendes, Fernando de Oliveira Vieira

Resumo


O artigo tem por objetivo apresentar as trajetórias teórico-metodológicas do LPCT – Laboratório de Psicodinâmica e Clínica do trabalho da Universidade de Brasília, criado em 2007, e do ESCOPO – Grupo de Estudos dos Coletivos de Trabalho e das Práticas Organizacionais, fundado em 2013. Os núcleos tem como propósito os processos psicodinâmicos do trabalhar, que permite a emergência das vivências de prazer/sofrimento, os rebatimentos na saúde/doença mental e nos processos de subjetivação. Privilegia-se como método a clínica do trabalho, que tem como alvo a emancipação do trabalhador e a mobilização política dos coletivos de trabalho. São apresentados inicialmente os pressupostos que caracterizam a perspectiva clínica e crítica para apreensão da relação trabalho, saúde e de gestão; e em seguida são descritas de modo breve os referencias teóricos usados por cada núcleo, bem como suas parcerias e diálogos. 


Palavras-chave


Psicodinâmica do Trabalho; Clínica do Trabalho; Coletivos de Trabalho; Práticas Organizacionais.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, J. J.; MENDES, A. M. Letra por letra, línea por línea: psicodinámica del trabajo de los taquigrafos parlamentares. Praxis: Revista de Psicología, Santiago, ano 14, p. 51-61, 1. sem. 2012.

ANDRADE, S. P. C.; TOLFO, S. R.; DELLAGNELO, E. H. L. Sentidos do trabalho e racionalidades instrumental e substantiva: interfaces entre a administração e a psicologia. Revista de Administração Contemporânea, Curitiba, v. 16, n. 2, p. 200-216, mar./abr. 2012.

ARAÚJO, J. N. G. de. Entre servidão e sedução do trabalhador: uma secular insistência do capital. In: MENDES, A. M. (Org.). Trabalho e saúde: o sujeito entre emancipação e servidão. Curitiba: Juruá, 2008. p. 54-68.

BASTOS, A. V. B.; GONDIN, S. M. G. Replica 1 – Suicídio e trabalho: problemas conceituais e metodológicos que cercam a investigação dessa relação. Revista de Administração Contemporânea, Curitiba, v. 14, n. 5, p. 939-948, set./out. 2010.

BOÉTIE, É. Discurso da servidão voluntária. São Paulo: Martin Claret, 2009. 77 p.

BOUYER, G. C. Contribuição da psicodinâmica do trabalho para o debate: “o mundo contemporâneo do trabalho e a saúde mental do trabalhador”. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, São Paulo, v. 35, n. 122, p. 249-259, jul./dez. 2010.

BRULON, V.; VIEIRA, M. M. F.; DARBILLY, L. Choque de gestão ou choque de racionalidades? O desempenho da administração pública em questão. Revista Eletrônica de Administração, Porto Alegre, v. 19, n. 1, p. 1-34, jan./abr. 2013.

CANÇADO, A. C.; TENORIO, F. G.; PEREIRA, J. R. Gestão social: reflexões teóricas e conceituais. Cadernos EBAPE.BR, Rio de Janeiro, v. 9, n. 3, p. 681-703, set. 2011.

DEJOURS, C. Psicopatologia do trabalho - psicodinâmica do trabalho. Laboreal, Porto, v. 7, n. 1, p. 13-16, 2011.

DEJOURS, C. Travail vivant tome II: travail et émancipation. Paris: Payot & Rivages, 2009. 256 p.

DEJOURS, C. A banalização da injustiça social. Rio de Janeiro: FGV, 2006. 156 p.

DUARTE, F. S. Dispositivos para a escuta clínica do sofrimento no trabalho. 142 f. 2014. Dissertação (Mestrado em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações) – Instituto de Psicologia, Universidade de Brasília, Brasília, 2014.

ENRIQUEZ, E. As organizações em análise. Petrópolis: Vozes, 1997. 302 p.

FERREIRA, A. S. A psicodinâmica do trabalho de profissionais de odontologia do centro ambulatorial de um hospital universitário. 106 f. 2013. Dissertação (Mestrado em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações) – Instituto de Psicologia, Universidade de Brasília, Brasília, 2013.

FREITAS, M. E. Cultura organizacional: identidade, sedução e carisma? Rio de Janeiro: FGV, 1999. 180 p.

FREUD, S. Recordar, repetir, elaborar. In: ESB das obras psicológicas completas de Sigmund Freud. Rio de Janeiro: Imago, 1996. v. XII, p. 123-133.

FREUD, S. A dinâmica da transferência. In: ESB das obras psicológicas completas de Sigmund Freud. Rio de Janeiro: Imago, 1996. v. XII, p. 137-158.

FREUD, S. Sobre o Início do Tratamento. In: ESB das obras psicológicas completas de Sigmund Freud. Rio de Janeiro: Imago, 1996. v. XII, p. 137-158.

GAULEJAC, V. Gestão como doença social: ideologia, poder gerencialista e fragmentação social. Aparecida: Idéias e Letras, 2007. 344 p.

GHIZONI, L. D. Clínica psicodinâmica da cooperação na associação de catadores e catadoras de materiais recicláveis da região centro-norte de Palmas – TO (ASCAMPA). 308 f. 2013. Tese (Doutorado em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações) – Instituto de Psicologia, Universidade de Brasília, Brasília, 2013.

GUERREIRO RAMOS, A. Modelos de homem e teoria administrativa. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 18, n. 2, p. 3-12, abr./jun. 1984.

HATCHUEL, A. Quel horizon pour les sciences de gestion ? Vers une théorie de l’action collective. In: DAVID, A.; HATCHUEL, A.; LAUFER, R. (Ed.). Les nouvelles fondations des sciences de gestion. 10. ed. Vuibert: Fnege 2001. p. 1-34.

LACOMBE, B. M. B., TONELLI, M. J. O discurso e a prática: o que nos dizem os especialistas e o que nos mostram as práticas das empresas sobre os modelos de gestão de recursos humanos. Revista de Administração Contemporânea, Curitiba, v. 5, n. 2, p. 157-174, maio/ago. 2001.

LIMA, M. E. A. Réplica 2 – réplica ao artigo tentativas de suicídio entre bancários no contexto de reestruturação produtiva. Revista de Administração Contemporânea, Curitiba, v. 14, n. 5, p. 949-955, set./out. 2010.

MERLO, Á. R. C.; MENDES, A. M. Perspectivas do uso da psicodinâmica do trabalho no Brasil: teoria, pesquisa e ação. Cadernos de Psicologia Social do Trabalho, São Paulo, v. 12, n. 2, p. 141-156, 2009.

MARTINS, S. R.; MENDES, A. M. Espaço coletivo de discussão: a clínica psicodinâmica do trabalho como ação de resistência. Psicologia: Organizações e Trabalho, Florianópolis, v. 12, n. 2, p. 24-36, ago. 2012.

MEDEIROS, S. N. Clínica em psicodinâmica do trabalho com a unidade de operações aéreas do DETRAN: o prazer de voar e a arte de se manter vivo. 168 f. 2012. Dissertação (Mestrado em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações) – Instituto de Psicologia, Universidade de Brasília, Brasília, 2012.

MENDES, A. M. B. Escuta analítica do sofrimento e o saber-fazer do clínico do trabalho. In: MENDES, A. M. B.; MORAES, R. D.; MERLO, A. R. C. (Org.). Trabalho & sofrimento: práticas clínicas e políticas. Curitiba: Juruá. 2014. p. 55-70.

MENDES, A. M.; ARAÚJO, L. K. R. Clínica da psicodinâmica do trabalho: o sujeito em ação. Curitiba: Juruá, 2012. 156 p.

MENDES, A. M.; FERREIRA, M.; ARAUJO, J. N. Dominação e resistência no trabalho e saúde do trabalhador. São Paulo: Mackenzie, 2011. 232 p.

MENDES, A. M.; MERLO, A. R. C.; MORRONE, C. F; FACAS, E. P. (Org.). Psicodinâmica e clínica do trabalho – temas, interfaces e casos brasileiros. Curitiba: Juruá, 2010. 544 p.

MENDES, A. M. (Org.). Violência no trabalho. Perspectivas da psicodinâmica, da ergonomia e da sociologia clínica. São Paulo: Mackenzie, 2010. 200 p.

MENDES, A. M. (Org.). Trabalho e saúde: o sujeito entre emancipação e servidão. Curitiba: Juruá, 2008. 185 p.

MENDES, A. M. Comportamento defensivo: uma estratégia para suportar o sofrimento no trabalho. Revista de Psicologia, Fortaleza, v. 13/14, n. 1/2, p. 27-32, 1996.

MENDES, A. M. Valores e vivências de prazer-sofrimento no contexto organizacional. 1999. 306 f. Tese (Doutorado em Psicologia) – Instituto de Psicologia, Universidade de Brasília, Brasília, 1999.

ONUMA, F. M. S.; MAFRA, F. L. N.; MOREIRA, L. B. Autogestão e subjetividade: interfaces e desafios na visão de especialistas da ANTEAG, UNISOL e UNITRABALHO. Cadernos EBAPE.BR, Rio de Janeiro, v. 10, n. 1, p. 65-81, mar. 2012.

PAGÈS, M.; BONETTI, M.; GAULEJAC, V.; DESCENDRE, D. O poder das organizações. 9. ed. São Paulo: Atlas, 2008. 240

PAULA, A. P. P.; MARANHÃO, C. M. S. A.; BARRETO, R. O.; KLECHEN, C. F. A tradição e a autonomia dos estudos organizacionais críticos no Brasil. Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 50, n. 1, p. 10-23, jan./mar. 2010.

PÉRILLEUX, T. O trabalho e os destinos políticos do sofrimento. In: MERLO, A. R. C.; MENDES, A. M; MORAES, R. D. (Org.). O sujeito no trabalho: entre a saúde e a patologia. Curitiba: Juruá, 2013. p. 73-92.

RUIZ, V. S., ARAÚJO, A. L. L. Saúde e segurança e a subjetividade no trabalho: os riscos psicossociais. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, São Paulo, v. 37, n. 125, p. 170-180, jan./jun. 2012.

SANTOS, M. A.; SIQUEIRA, M. V. S.; MENDES, A. M. Tréplica - Relações entre suicídio e trabalho: diferenças epistemológicas e (im)possibilidade de diálogo. Revista de Administração Contemporânea, Curitiba, v. 14, n. 5, p. 956-967, set./out. 2010.

SANTOS FILHO, S. B.; BARROS, M. E. B.; GOMES, R. S. The national humanization policy as a policy produced within the healthcare labor process. Interface – Comunicação, Saúde, Educação, Botucatu, v. 13, n. 1, p. 603-613, 2009.

SIQUEIRA, M. V. S. Gestão e discurso organizacional: critica à relação indivíduo-empresa nas organizações contemporâneas. 2. ed. Curitiba: Juruá, 2009. 246 p.

SIQUEIRA, M. V. S., MENDES, A. M. Gestão no setor público e a reprodução do discurso do setor privado. Revista do Serviço Público, Brasília, v. 60, n. 3, p. 241-250, jul./set. 2009.

VIEIRA, F. O.; MENDES, A. M.; MERLO, A. (Org.). Dicionário crítico de gestão e psicodinâmica do trabalho. Curitiba: Juruá, 2013. 512 p.

WOOD JR., T.; TONELLI, M. J.; COOKE, B. Colonização e neocolonização da gestão de Recursos Humanos no Brasil (1950-2010). Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 51, n. 3, p. 232-243, maio/jun. 2011.




DOI: http://dx.doi.org/10.25113/farol.v1i1.2608

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais



Classificação de Periódicos Qualis/CAPES (2013-2016)

 

Administração Pública e de Empresas, Ciências Contábeis e Turismo – B4
Biotecnologia – C
Ciências Ambientais – B4
Comunicação e Informação – B5
Educação – C
Engenharias III – B5
Geografia – B4
Interdisciplinar – B4
Planejamento Urbano e Regional / Demografia – B4
Psicologia – B3
Sociologia – B5


ISSN 2358-6311

 

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial 4.0 Internacional