ACCRUALS DISCRICIONÁRIOS E PREVISÕES OTIMISTAS DOS ANALISTAS: INCENTIVOS E CONSEQUÊNCIAS

Paulo Victor Gomes Novaes, Pedro Borges Junior, José Elias Feres de Almeida, Patricia Maria Bortolon

Resumo


O objetivo do estudo foi analisar a relação de incentivo existente entre previsões otimistas de analistas de mercado e o gerenciamento dos accruals discricionários. Foram utilizadas três variações do modelo de Jones Modificado. A amostra é composta por um conjunto de dados em painel desbalanceado, correspondente ao período de 2008 a 2013, composto de 80 empresas de capital aberto, com ações negociadas na BMF&Bovespa e que tiveram todas as variáveis utilizadas no modelo, perfazendo o montante de 394 observações. Foram selecionadas empresas acompanhadas por pelo menos um analista de mercado em cada ano. As variáveis dos modelos foram coletas por meio do banco de dados do Comdinheiro, enquanto as informações de previsões e erros dos analistas foram obtidas por meio do sistema Thomson Reuters Eikon. Foi utilizado dados em painel com efeitos fixos para estimação dos modelos empíricos. Os resultados não sustentam as duas hipóteses desenvolvidas no estudo, quais sejam, a de que os accruals discricionários aumentam após erros de previsão otimistas, e que a manipulação de resultados influencia as previsões subsequentes dos analistas. Os resultados são robustos a diferentes estimadores e sub-amostra utilizados.


Palavras-chave


Gerenciamento de resultados; accruals discricionários; previsão de analistas.

Texto completo:

PDF