Subdesenvolvimento Periférico: a compreensão estrutural no limiar da idiossincrasia econômica

Eduarda Moura Pereira

Resumo


O presente trabalho objetiva-se a delinear uma compreensão do subdesenvolvimento latino-americano a partir de sua perspectiva estrutural e dependente. Para tanto, são recuperadas algumas das contribuições literárias à teoria do desenvolvimento, e estabelecidos os impedimentos estruturais – tanto econômicos, quanto sociais e internacionais – à superação da subordinação periférica. Nesse sentido, iniciaremos com uma explanação geral sobre a derrocada dos pressupostos clássicos no início do século XX, para em seguida examinarmos o aporte teórico concedido através da literatura do Imperialismo, da Teoria da Dependência, e da abordagem Cepalina, e suas significâncias na fundamentação das análises estruturais. Finalmente, faz-se um diagnóstico da especificidade dessas estruturas nos países dependentes, à luz da realidade brasileira, a fim de apreender o subdesenvolvimento em sua totalidade, para além das causalidades de natureza puramente econômica.  


Palavras-chave


Dependência; Estrutura; Periferia; Subdesenvolvimento

Texto completo:

PDF

Referências


BARAN, Paul A. Sobre a economia política do atraso. Rio de Janeiro: Contraponto: Centro Internacional Celso Furtado, p. 107-122. 2010.

BRESSER-PEREIRA, Luiz C. As três interpretações da dependência. São Paulo: Perspectivas, v.38, p. 17-48, 2010.

CORRÊA, Hugo F. S. A Nova Cepal e o “mal-estar” social na América Latina: uma alternativa de desenvolvimento?. Dissertação (mestrado) – Universidade Federal de Uberlândia, Programa de Pós-Graduação em Economia. 2007.

FURTADO, Celso. Teoria e política do desenvolvimento econômico. São Paulo: Abril Cultural, 1983.

HIDALGO, Cesar A. The Product Space Conditions the Devlopment of Nations. Science 317, 482. 2007.

KUZNETS, Simon. Os países subdesenvolvidos e a fase pré-industrial nos países avançados: uma tentativa de comparação. Rio de Janeiro: Contraponto: Centro Internacional Celso Furtado, p. 163-180. 2010.

LÊNIN, Vladimir I. O Imperialismo, Etapa Superior do Capitalismo. Edição eletrônica. Campinas: 2011.

LOVE, Joseph L. Las fuentes del estructuralismo latino-americano. Dasarrollo Económico, Vol. 36, No. 144, pp. 391-402. 1996.

LOVE, Joseph L. The Latin American Contribution to Center-Periphery Perspectives: History and Prospect. Working Papers in Technology Governance and Economic Dynamics no. 10. 2007.

MEIER, Gerald M. O problema do desenvolvimento econômico limitado. Rio de Janeiro: Contraponto: Centro Internacional Celso Furtado, p. 87-106. 2010.

MISSIO, Fabrício J; JAYME JR, Frederico G. Estruturalismo e Neoestruturalismo: velhas questões, novos desafios. Porto Alegre: Análise Econômica, ano 30, No. 57, p. 205-230. 2012.

PREBISCH, Raúl. El desarrollo económico de la América Latina y sus principales problemas. Santiago, Chile: CEPAL, 1949.

RICARDO, David. Princípios de Economia, Política e Tributação. São Paulo: Editora Nova Cultura, 1996.

ROSTOW, Walt W. A decolagem para o crescimento autossustentado. Rio de Janeiro: Contraponto: Centro Internacional Celso Furtado, p. 181-214. 2010.

SCHUMPETER, Joseph A. Capitalismo, Socialismo e Democracia. Rio de Janeiro: Editora Fundo de Cultura, 1961.

SANTOS, Theotônio dos. A Teoria da dependência: balaços e perspectivas. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2000.

WRIGHT, Erik O. Compass Points: Towards a Socialist Alternative. New Left Review, 41 93-124, 2006.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Revista Multiface Online

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.