[1]
C. M. Cupertino e P. R. B. Lustosa, “Testabilidade do Modelo Ohlson: Revisão da Literatura Acadêmica”, Contab. Vista & Rev., vol. 17, nº 2, p. 47-66, maio 2009.