ASSIMETRIA DE INFORMAÇÃO NAS RELAÇÕES ENTRE MÉDICOS, PACIENTES E FARMACÊUTICOS: IMPACTOS NA PRESCRIÇÃO E COMPRA DE MEDICAMENTOS

Caissa Veloso e Sousa, Igor Leon Francelino de Oliveira, Jefferson Rodrigues Pereira

Resumo


A lei que ficou conhecida popularmente como Lei dos Genéricos garante a intercambialidade entre os medicamentos, com o objetivo de ampliar o acesso da população a aquisição dos produtos. Contudo, é possível identificar assimetrias entre as informações dos agentes envolvidos na prescrição, compra e venda de medicamentos. No trabalho, de abordagem qualitativa, foram entrevistados seis médicos, seis pacientes e seis farmacêuticos/balconistas, com o propósito de analisar a influência da assimetria de informação na relação que o médico estabelece com o paciente, e estes com o farmacêutico, para fins de prescrição e compra de medicamentos na cidade de Belo Horizonte/MG. Como principais resultados é possível afirmar que os farmacêuticos/balconistas são os principais responsáveis pela escolha do laboratório fabricante do medicamento, ficando, na maioria das vezes, facultada ao médico apenas a escolha do princípio ativo. Ainda, dada a complexidade da indústria farmacêutica, associada aos expressivos investimentos em promoção, este agente pode utilizar estratégias de cunho prioritariamente comercial para promover a venda dos medicamentos, em detrimento de aspectos farmacológicos específicos. 


Palavras-chave


Assimetria de Informação. Indústria Farmacêutica. Consumidor de Medicamentos.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.21450/rahis.v14i2.3889

Site melhor visualizado com o navegador Mozilla Firefox.