Política monetária e taxa de câmbio em uma pequena economia aberta: uma análise empírica para o Brasil

Andreza Aparecida Palma

Resumo


O objetivo deste artigo é verificar empiricamente a resposta da política monetária (taxa de juros) a choques na taxa de câmbio no Brasil durante o regime de metas de inflação, considerando a relação contemporânea endógena existente entre tais variáveis (política monetária e taxa de câmbio). Seguindo Bjørnland e Halvorsen (2014), será estimado um modelo SVAR (vetor autorregressivo estrutural) identificado através da combinação de restrições de sinais e de curto prazo (decomposição Cholesky-sinal). Os resultados obtidos mostram que há uma resposta importante e significativa da política monetária a choques na taxa de câmbio. A resposta da política monetária é imediata, o que nos leva a concluir que negligenciar a interação contemporânea entre tais variáveis pode produzir resultados imprecisos. Além disso, não encontramos evidências significativas de qualquer puzzle na resposta da taxa de câmbio e da inflação a choques na política monetária.


Palavras-chave


VAR Estrutural; política monetária; choques na taxa de câmbio; decomposição Cholesky-sinal; pequena economia aberta.

Texto completo:

PDF


Direitos autorais 2017 Nova Economia

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Patrocínio:

BDMG

 

 

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.