PRAZER E SOFRIMENTO NO TRABALHO: VIVÊNCIAS DE MULHERES SOLDADOS DA PMMG

Jéssica Gabrielle Mathias do Carmo, Ludmila de Vasconcelos Machado Guimarães, Mariana de Lima Caeiro

Resumo


O objetivo central deste estudo foi compreender as vivências de prazer e sofrimento no trabalho de mulheres soldados em uma unidade da Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG), embasando, principalmente, na psicodinâmica do trabalho. Tendo em vista que a PMMG, pode ser considerada como gueto masculino(CAPPELLE; MELO, 2010), foi fundamental, também, trazer à luz questões relacionadas ao gênero. Como metodologia, trabalhou-se com a articulação quantitativa/qualitativa. Sendo assim, foram aplicados questionários desenvolvidos a partir da Escala de Indicadores de Prazer e Sofrimento no Trabalho (EIPST), criada e validada por Mendes (1999). Posteriormente foram realizadas cinco entrevistas em profundidade a fim de se captar as vivências ligadas ao prazer e sofrimento. Após a transcrição das entrevistas foi possível delimitar categorias consonantes com os resultados dos dados coletados na pesquisa quantitativa, que nortearam as análises das entrevistas realizadas. Em geral, o sentimento de prazer no trabalho sobressaiu em relação ao sofrimento.


Palavras-chave


Prazer; Sofrimento; Mulher; Polícia militar.

Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE, C. L. DE; MACHADO, E. P. Sob o signo de Marte: modernização, ensino e ritos da instituição polícia militar. Sociologias, Porto Alegre, v. 3, n. 5, p. 214-237, jan. /jun. 2001. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/soc/n5/n5a10.pdf . >. Acesso em 09 marc. 2015

BAHIA, M. C. A.; FERRAZ, M. A. V. Entre a exceção e a regra: a construção do feminino na polícia civil baiana. Revista Organização & Sociedade, Salvador, v. 7, n. 18, p.25-40, mai. /ago. 2000. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/osoc/v7n18/02.pdf. >. Acesso em 09 marc. 2015

BARDIN, L. Análise de conteúdo. (L. de A. Rego & A. Pinheiro, Trads.). Lisboa: Edições 70. 2006.

BENDASSOLLI, P. F.; SOBOLL, L. A. Introdução às clínicas do trabalho: aportes teóricos, pressupostos e aplicações. In: BENDASSOLLI, P. F.; SOBOLL, L. A. Clínicas do trabalho. São Paulo: Altas. 2011.

CALAZANS, M. E. Polícia e gênero no contexto das reformas policiais. La Salle –Revista de Educação, Ciência e Cultura, Canoas, v.10, n.2. 2005. Disponível em: < http://www.egov.ufsc.br/portal/sites/default/files/anexos/12662-12663-1-PB.pdf >. Acesso em 12 marc. 2015.

CAPPELLE, M. C. A. O trabalho feminino no policiamento operacional: subjetividade, relações de poder e gênero na oitava região da Polícia Militar de Minas Gerais. 2006. 378 f. [Tese Doutorado em Administração] - Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte. Disponível em: < http://www.bibliotecadigital.ufmg.br/dspace/bitstream/handle/1843/EMLE-6W7HXL/monica_carvalho.pdf?sequence=1 >. Acesso em 20 marc. 2015.

CAPPELLE, M. C. A.; CRAMER, L.; NETTO, A. P. Relações de gênero na polícia: a construção das representações sociais do masculino e do feminino em uma organização militar. In: Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação em Administração, 25, 2001, Campinas. Anais Campinas: ANPAD. 2001. Disponível em: . Acesso em 01 abr. 2015.

CAPPELLE, M. C. A.; MELO, M. C. O. Mulheres policiais, relações de poder e de gênero na polícia militar de Minas Gerais. Revista de Administração Mackenzie, São Paulo, v. 11, n. 3, p. 71-99, mai. /jun. 2010. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/ram/v11n3/a06v11n3.pdf > Acesso em 20 marc. 2015.

CARVALHO NETO, A. M. DE; TANURE, B.; SANTOS, C. M. M. Pride and prejudice beyond the glass ceiling: Brazilian female executives psychological type. Revista de Ciências da Administração (CAD/UFSC), Florianópolis, v. 16, p. 210-223. 2014. Disponível em: < https://periodicos.ufsc.br/index.php/adm/article/view/2175.../pdf_ >. Acesso em 03 abr. 2015

CAVAZOTTE, F. S. C. N.; OLIVEIRA, L. B.; MIRANDA, L. C. Desigualdade de gênero no trabalho: reflexos nas atitudes das mulheres e na sua intenção de deixar a empresa. Revista de Administração da Universidade de São Paulo, São Paulo, v. 45, n. 1, p. 70-83, jan. /mar. 2010. Disponível em: < www.rausp.usp.br/download.asp?file=v4501070.pdf >. Acesso em 09 marc. 2015

CHANLAT, J. F. O indivíduo na organização: dimensões esquecidas. vol. 1, 3ª ed. São Paulo: Atlas. 1996.

CRAMER, L.; PAULA NETO, A.; SILVA, A. L. A inserção do feminino no universo masculino: representações da educação superior. Organizações & Sociedade, Salvador, v.9(24), p. 25-37. 2002. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/osoc/v9n24/02.pdf >. Acesso em 01 jun. 2015

DEJOURS, C. A. Apresentação. In: MENDES, A. M. (Org.). Psicodinâmica do trabalho: teoria, métodos e pesquisas. São Paulo: Casa do Psicólogo. 2007.

DEJOURS, C.A; GERNET, I. (2011). Avaliação do trabalho e reconhecimento. In: BENDASSOLLI, P. F.; SOBOLL, L. A. Clínicas do trabalho. São Paulo: Altas. 2011.

DEJOURS, C; ABDOUCHELI, E.; JAYET, C. Psicodinâmica do Trabalho: contribuições da escola dejouriana à análise da relação de prazer, sofrimento e trabalho. 1ª ed. São Paulo: Atlas. 1994.

ECCEL, C. S.; GRISCI, C. L. L. Trabalho e gênero: a produção de masculinidades na perspectiva de homens e mulheres. Cadernos Ebape. BR, Rio de Janeiro, v. 9, n. 1, p.57-78, mar. 2011. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/osoc/v9n24/02.pdf >. Acesso em 21 marc. 2015

ESTIVALETE, V. F. B. et al. As implicações de gênero na hierarquia dos valores relativos ao trabalho. Revista Alcance, 18(3), 271-286. 2011. Disponível em: < www.spell.org.br/documentos/ver/2750/as-implicacoes-de-genero-na-hierarquia-dos-valores-relativos-ao-trabalho >. Acesso em 21 marc. 2015

HERNANDES, J. C. Vivências de prazer-sofrimento: um estudo exploratório com trabalhadores de um hotel de Goiânia. 2003. 164 f. [Dissertação Mestrado em Psicologia] - Universidade Católica de Goiás, Goiânia. Disponível em: < www.ucg.br/ucg/katiaMacedo/dissertacoes/pdf/Janete_VivenciasdePrazer.pdf >. Acesso em 7 marc. 2015

LIMA, G. S.; CARVALHO NETO, A. M. DE; LIMA, M. S.; TANURE, B.; VERSIANI, F. O Teto de Vidro das Executivas Brasileiras. Revista Pretexto, Belo Horizonte, v. 14, p. 65-80. 2013.

MENDES, A. M. Valores e vivências de prazer-sofrimento no contexto organizacional. 1999. 306 f. [Tese Doutorado em Psicologia] - Universidade de Brasília, Brasília.

MENDES, A. M.; FERREIRA, M. C. Inventário sobre trabalho e riscos de adoecimento- ITRA: instrumento auxiliar de diagnóstico de indicadores críticos no trabalho. In: Mendes, A. M. (Org.). Psicodinâmica do trabalho: teoria, métodos e pesquisas. São Paulo: Casa do Psicólogo. 2007.

MOREIRA, P. M. de. Entre a justiça e o sofrimento: um estudo nas empresas do comércio varejista de Fortaleza. 2007. 125 f. [Dissertação Mestrado em Administração] - Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza. Disponível em: < www.uece.br/ppga/index.php/arquivos/doc.../66-paloma-moreira >. Acesso em 21 marc. 2015

OLETO, A. DE F.; MELO, M. C. DE O. L.; LOPES, A. L. M. Análise bibliométrica da produção sobre prazer-sofrimento no trabalho nos Encontros da Associação Nacional de Pós-Graduação em Administração (2000-2010). Psicologia: Ciência e Profissão, Brasília, v. 33, n. 1, p. 60-73. 2013.

ROCHA, S. R. A. “O pior é não ter mais uma profissão, bate uma tristeza profunda.”: sofrimento, distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho e depressão em bancários. 2003. 180 f. [Dissertação Mestrado em Psicologia]- Universidade de Brasília, Brasília. Disponível em: < http://lpct.com.br/wp-content/uploads/2012/11/26-Rocha-Banc%C3%A1rios.pdf >. Acesso em 12 marc. 2015

ROSSI, E.Z. Método e pesquisa em psicodinâmica do trabalho. In: MENDES, A. M.; MERLO, A. R. C.; MORRONE, C. F.; FACAS, E. P. Psicodinâmica e Clínica do trabalho: Temas interfaces e casos brasileiros. 1. ed. (ano de 2010). 1ª reimpressão. Curitiba: Juruá. 2011.

SELIFGMANN-SILVA, E. Da Psicoptalogia à Psicodinâmica do trabalho: Marcos de um percurso. In: DEJUORS, C.; ABDOUCHELI, E.; JAYET, C. Psicodinâmica do trabalho: contribuições da escola dejouriana à análise da relação de prazer, sofrimento e trabalho. 1ª ed . São Paulo: Atlas. 1993.




DOI: http://dx.doi.org/10.25113/farol.v3i8.3180

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Farol - Revista de Estudos Organizacionais e Sociedade

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Classificação de Periódicos Qualis/CAPES (2013-2016)

 

Administração Pública e de Empresas, Ciências Contábeis e Turismo – B4
Biotecnologia – C
Ciências Ambientais – B4
Comunicação e Informação – B5
Educação – C
Engenharias III – B5
Geografia – B4
Interdisciplinar – B4
Planejamento Urbano e Regional / Demografia – B4
Psicologia – B3
Sociologia – B5


ISSN 2358-6311

 

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial 4.0 Internacional