PERCORRENDO OS (DES)CAMINHOS DA PRODUÇÃO DE UMA TESE A PARTIR DA CLÍNICA PSICODINÂMICA DO TRABALHO

Tatiana Cardoso Baierle

Resumo


O presente depoimento visa problematizar e discutir a produção acadêmica nos (des)caminhos que se apresentam no encontro com o Campo. Pensar a escrita da tese como trabalho, sujeito aos desafios do encontro com o real. A pesquisa partiu do olhar da Clínica Psicodinâmica do Trabalho e teve como objetivo, refletir sobre aspectos transversalizadores do trabalho do policial civil, em sua relação com processos de subjetivação, na perspectiva do acionamento de potência de vida. A metodologia fugiu ao strictu sensu da Psicodinâmica do Trabalho, adotando a perspectiva cartográfica. Neste percurso, foram realizadas entrevistas individuais com policiais civis de diferentes cargos e lotações. O processamento das falas foi efetivado por meio do entrelaçamento teórico, entre a Psicodinâmica do Trabalho e a Esquizoanálise. Na bricolagem de saberes e práticas, entende-se estar a possibilidade da construção de conhecimento que permita a passagem da vida e a produção de possibilidades de mudanças e deslocamentos institucionais.

Palavras-chave


Produção Acadêmica; Esquizoanálise; Psicodinâmica do Trabalho; Polícia Civil.

Texto completo:

PDF

Referências


ANCHIETA, V. C. C.; GALINKIN, A. L.; MENDES, A. M. B.; NEIVA, E. R. Trabalho e riscos de adoecimento: um estudo entre policiais civis. Psicologia: Teoria e Pesquisa, Brasília, v. 27, n. 2, p. 199-208, abr./jun. 2011.

BAIERLE, T. C. O que a guarda (a)guarda? 2002. 67 f. Monografia (Especialização em Psicologia Social e Institucional). Instituto de Psicologia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2002.

BAIERLE, T. C. Ser segurança em tempos de insegurança: sofrimento psíquico e prazer no trabalho da Guarda Municipal de Porto Alegre. 2007. 204 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia Social e Institucional) – Instituto de Psicologia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2007.

BAIERLE, T. C.; MERLO, Á. R. C. Trabalho, saúde mental e subjetividade em uma guarda municipal: estudo em psicodinâmica do trabalho. Cadernos de Psicologia Social do Trabalho, São Paulo, v. 11, n. 1, p. 69-81, 2008.

BAREMBLITT, G. Introdução à esquizoanálise 2. ed. Belo Horizonte: Biblioteca Instituto Félix Guattari, 2003. 210 p.

BECK, F. L. A dinâmica prazer/sofrimento dos trabalhadores da enfermagem no cotidiano de uma emergência. 2010. 112 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia Social e Institucional) – Instituto de Psicologia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2010.

BOSCO, C. D. Formas de reconhecimento existentes em trabalhadores da CAGE e a relação com a saúde mental. 2013. 87 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia Social e Institucional) – Instituto de Psicologia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2013.

BOTTEGA, C. G. Loucos ou heróis: um estudo sobre prazer e sofrimento dos educadores sociais no trabalho com adolescentes em situação de rua. 2009. 201 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia Social e Institucional) – Instituto de Psicologia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2009.

BRASIL. SENASP. Disponível em: http://portal.mj.gov.br/main. asp?ViewID=%7B1BFF9F1B-2ECD-4A25-9976-661FB5A66624%7D&params=itemID=%7BE16A5BBC-4A90-4C01-88A7-643B4A1DD68C%7D;&UIPartUID=%7B2868BA3C-1C72-4347-BE11-A26F70F4CB26%7D. Acesso em: 23 jul. 2014.

CASTRO, T. C. M. Reconhecimento e vida dos guardas municipais: clínica do trabalho na atividade de segurança pública. 2010. 142 f. Dissertação (Mestrado. Psicologia Social e Institucional) – Instituto de Psicologia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2010.

DEJOURS, C. A metodologia em psicodinâmica do trabalho. In: LANCMAN, S. SZNELWAR, L. (Org.). Christophe Dejours: da psicopatologia à psicodinâmica do trabalho. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2004. p. 105-126.

DEJOURS, C. A loucura do trabalho: estudos de psicopatologia do trabalho. 5. ed. São Paulo: Cortez, 1992. 168 p.

DELEUZE, G.; GUATTARI, F. Mil Platôs – capitalismo e esquizofrenia. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1997. v. 5. 240 p.

DELEUZE, G.; GUATTARI, F. Mil Platôs – capitalismo e esquizofrenia. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1995. v. 1. 128 p.

FOUCAULT, M. História da sexualidade 2: o uso dos prazeres. Rio de Janeiro: Graal, 1984. 390 p.

HAGEN, A. M. M. O trabalho policial: estudos da polícia civil do Estado do Rio Grande do Sul. São Paulo: IBCCRIM, 2006. 300 p.

KARAM, H. Desafio para a psicodinâmica do trabalho no Brasil: um ponto de vista. In: MENDES, A. M.; MERLO, Á. R. C.; MORRONE, C. F.; FACAS, E. P. (Org.). Psicodinâmica e Clínica do Trabalho: temas, interfaces e casos brasileiros. Curitiba: Juruá, 2010. p. 53-60.

KASTRUP, V. O funcionamento da atenção no trabalho do cartógrafo. Psicologia & Sociedade, Porto Alegre, v. 19, n. 1, p. 15-22, jan./abr. 2007.

KASTRUP, V.; BENEVIDES DE BARROS, R. A cartografia como método de pesquisa-intervenção. In: PASSOS, E.; KASTRUP, V.; ESCÓSSIA, L. (Org.). Pistas do método da cartografia: pesquisa intervenção e produção de subjetividade. Porto Alegre: Sulina, 2009. p. 17-31.

KIRST, P. G.; GIACOMEL, A. E.; RIBEIRO, C. J. S.; COSTA, L. A.; ANDREOLI, G. S. Conhecimento e cartografia: tempestade de possíveis. In: FONSECA, T. M. G.; KIRST, P. G. (Org.). Cartografias e devires: a construção do presente. Porto Alegre: UFRGS, 2003. p. 91-101.

LAZARIN, C. C. Carcereiros ou encarcerados: um estudo sobre o trabalho dos auxiliares de enfermagem no Hospital Psiquiátrico São Pedro. 2003. 96 f. Dissertação (Mestrado. em Psicologia Social e Institucional) – Instituto de Psicologia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre. 2003.

MAGNUS, C. N. Sob o peso dos grilhões: um estudo sobre a psicodinâmica do trabalho em um hospital psiquiátrico público. 2009. 275 f. Dissertação (Mestrado. Psicologia Social e Institucional) – Instituto de Psicologia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2009.

MARTINS, S. R. Elaboração (Perlaboração). In: VIEIRA, F. O.; MENDES, A. M.; MERLO, Á. R. C. (Org.). Dicionário crítico de gestão e Psicodinâmica do Trabalho. Curitiba: Juruá, 2013. p. 129-134.

MENDES, A. M. (Org.). Psicodinâmica do trabalho: teoria, métodos e pesquisas. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2007. 368 p.

MERLO, Á. R. C. A informática no Brasil: prazer e sofrimento no trabalho. Porto Alegre: UFRGS, 1999. 270 p.

MINAYO, M. C. S.; SOUZA, E. R. (Org.). Missão investigar: entre o ideal e a realidade de ser policial. Rio de Janeiro: Garamond, 2003. 352 p.

MOTTA, L. T. Embriaguem-se. Tradução de Enivrez-vous, 1995, disponível em: http://teorialiterariaufrj.blogspot.com.br/2009/05/baudelaire-enivrez-vous-e-suas.html. Acesso em: 16 dez. 2015.

MÜLLER, D. Z. Uma polícia especial: possibilidades de prazer no trabalho dos policiais militares do pelotão de operações especiais. 2012. 113 f. Dissertação (Mestrado. em Psicologia Social e Institucional) – Instituto de Psicologia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2012.

NARDI, H. C.; TITTONI, J. Subjetividade e Trabalho. In: CATTANI, A. D.; HOLZMANN, L. (Org.). Dicionário de trabalho e tecnologia. 2. ed. Porto Alegre: Zouk, 2011. p. 375-378.

NERI, R. Anti-Édipo / Psicanálise: um debate atual. Ágora, Rio de Janeiro, v. VI, n. 1, p. 21-43, jan./jun. 2003.

PASSOS, E.; KASTRUP, V.; ESCÓSSIA, L. Apresentação. In: PASSOS, E.; KASTRUP, V.; ESCÓSSIA, L. (Org.). Pistas do método da cartografia: pesquisa intervenção e produção de subjetividade. Porto Alegre: Sulina, 2009. p. 7-16.

PAULON, S. M. A Análise de implicação como ferramenta na pesquisa-intervenção. Psicologia e Sociedade, Porto Alegre, v. 17, n. 3, p. 18-25, set./dez. 2005.

REY, A. Le Robert Micro: dictionnaire d’apprentissage de la langue française. 3. ed. Paris: Poche, 2006. 1506 p.

RIO GRANDE DO SUL. Sujeitos e Instituições: modos de cuidar e tratar: programa de saúde mental para os trabalhadores da segurança pública: uma visão cartográfica. Relatório do Programa de Saúde Mental para os Trabalhadores da Segurança Pública, 2002. 208 p.

ROCHA, M. L. Psicologia e as práticas institucionais: a pesquisa intervenção em movimento. Psico, Porto Alegre, v. 37, n. 2, p. 169-174, maio/ago. 2006.

ROCHA, M. L.; AGUIAR, K. F. Pesquisa-intervenção e a produção de novas análises. Psicologia: Ciência e Profissão, Brasília, v. 23, n. 4, p. 64-73, dez. 2003.

ROLNIK, S. Cartografia sentimental: transformações contemporâneas do desejo. Porto Alegre: Sulina/UFRGS, 2006. 248 p.

ROSÁRIO, N. M.; AGUIAR, L. M. Pluralidade metodológica: a cartografia aplicada às pesquisas de audiovisual. Revista Comunicación, Sevilla, v. 1, n. 10, p. 1262-1275, 2012.

ROSSI, E. Z. Método de pesquisa em Psicodinâmica do Trabalho. In: MENDES, A. M.; MERLO, Á. R. C.; MORRONE, C. F.; FACAS, E. P. (Org.). Psicodinâmica e Clínica do Trabalho: temas, interfaces e casos brasileiros. Curitiba: Juruá, 2010. p. 113-124.

SCHLINDWEIN, V. L. D. C. Apresentação a coletânea: desafios e perspectivas da Psicologia do Trabalho no campo da saúde mental. In: SCHLINDWEIN, V. L. D. C. (Org.). Saúde mental e trabalho na Amazônia: múltiplas leituras sobre prazer e sofrimento no trabalho. Porto Velho: EDUFRO, 2013. p. 9-14.

SPODE, C. B.; MERLO, Á. R. C. Trabalho policial e saúde mental: uma pesquisa junto aos Capitães da Polícia Militar. Psicologia: Reflexão e Critica, Porto Alegre , v. 19, n. 3, p. 362-370, 2006 .

TRAESEL, E. S.; MERLO, Á. R. C. Somos sobreviventes: vivências de ser servidor público do INSS diante dos novos modos de gestão e a precarização do trabalho na reforma gerencial do serviço público. Cadernos de Psicologia Social do Trabalho, São Paulo, v. 17, p. 224-238, 2014.

TRENTINI, L. B.; BOTTEGA, C. G.; DORNELLES, R. A. N.; MERLO, Á. R. C. A Saúde no trabalho dos oficiais da Justiça Federal de Porto Alegre. Revista HCPA, Porto Alegre, v. 30, p. 215-215, 2010.

TRIPP, D. Pesquisa-ação: uma introdução metodológica. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 3, p. 443 - 466, set./dez. 2005.

ZIEBELL, M. R. Para pensar dispositivos analíticos na prática da psicologia na saúde e trabalho hospitalar. Revista Mal-Estar e Subjetividade, Fortaleza, v. XII, n. 3-4, p. 745-766, set./dez. 2012.




DOI: http://dx.doi.org/10.25113/farol.v2i5.3137

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Farol - Revista de Estudos Organizacionais e Sociedade



Classificação de Periódicos Qualis/CAPES (2013-2016)

 

Administração Pública e de Empresas, Ciências Contábeis e Turismo – B4
Biotecnologia – C
Ciências Ambientais – B4
Comunicação e Informação – B5
Educação – C
Engenharias III – B5
Geografia – B4
Interdisciplinar – B4
Planejamento Urbano e Regional / Demografia – B4
Psicologia – B3
Sociologia – B5


ISSN 2358-6311

 

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial 4.0 Internacional