TRABALHANDO NO "ENTRE": A HISTÓRIA DE VIDA LABORAL COMO MÉTODO DE PESQUISA EM PSICOSSOCIOLOGIA

Bruna de Oliveira Santos Pinto, Teresa Cristina Othenio Cordeiro Carreteiro, Luciana da Silva Rodriguez

Resumo


Este ensaio tem como objetivo descrever o método de história de vida aplicado ao campo do trabalho, cujo nome é “história de vida laboral”. Para isto, analisa-se primeiramente a Psicossociologia, arcabouço teórico que utiliza da história de vida como método de coleta de dados e intervenção. Descreve-se aqui como a psicossociologia analisa os diversos espaços em que se insere os indivíduos, entre eles, o trabalho, as organizações e instituições. Em seguida, retoma-se a o método "história de vida", e como este foi utilizado em momentos históricos distintos. Elucida-se também sobre alguns conceitos associados a este na atualidade e como pode ser um instrumento fértil para análises nos campos da psicossociologia.


Palavras-chave


história de vida laboral; psicossociologia; trabalho

Texto completo:

PDF (ESPAÑOL)

Referências


AMADO, G.; ENRIQUEZ, E. Psicodinâmica do trabalho e psicossociologia. In: BENDASSOLLI, P. F.; SOBOLL, L. A. P. (Org.). Clínicas do trabalho. São Paulo: Atlas, 2011. p. 208-226.

ARAÚJO, J. N. G.; CARRETEIRO, T. C. (Org.). Cenários sociais e abordagem clínica. São Paulo: Escuta/Belo Horizonte: Fumec, 2001. 264 p.

BARUS-MICHEL, J.; ENRIQUEZ, E.; LEVY, A. (Org.). Dicionário de psicossociologia. Lisboa: Climepsi. 2005. 262 p.

BERTAUX, D. Destinos pessoais e estruturas de classe. Rio de Janeiro: Zahar, 1977. 213 p.

BERTAUX, D. L’approche biographique: sa validité méthodologique, ses potentialités. Cahiers Internationaux de Sociologie, Paris, v. LXIX, p. 197-225, 1980.

BOSI, E. Memória e sociedade: lembranças de velhos. São Paulo: Companhia das Letras, 1994. 488 p.

BOSI, E. O tempo vivo da memória: ensaios de psicologia social. São Paulo: Ateliê, 2003. 224 p.

BUENO, B. O. O método autobiográfico e o estudo de histórias de vida com professores: a questão da subjetividade. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 28, n. 1, p. 11-30, jan./jun. 2002.

CARRETEIRO, T. C. O. C. Corpo e contemporaneidade. Psicologia em Revista, Belo Horizonte, v. 11, n. 17, p. 62-76, jun. 2005a.

CARRETEIRO, T. C. O. C. Perspectivas da clínica ampliada face a uma morte anunciada. In: FÉRES-CARNEIRO, T. (Org.). Família e casal: efeitos da contemporaneidade. Rio de Janeiro: PUC-Rio, 2005b. p. 294-303.

CARRETEIRO, T. C. O. C. História de vida: da genealogia a um estudo de caso. Psico, Porto Alegre, v. 34, n. 2, p. 281-295, 2003.

CARRETEIRO, T. C. O. C.; ARAUJO, J. N. (Org.) Cenários sociais e abordagem clínica. São Paulo: Escuta; Belo Horizonte: FUMEC, 2001a.

CARRETEIRO, T. C. O. C. Psicossociologia em exame. In: MACHADO, M. N. .; CASTRO, E. DE M.; ARAÚJO, J. N. G.; ROEDEL, S. (Org.). Psicossociologia: análise social e intervenção. Belo Horizonte: Autêntica, 2001b.

CARRETEIRO, T. C. O. C. A doença como projeto: uma contribuição à análise de formas de filiações e desfiliações sociais. In: SAWAIA, B. (Org.). As artimanhas da exclusão: análise psicossocial e ética da desigualdade social. Petrópolis: Vozes, 1999. p. 87-96.

CARRETEIRO, T. C. O. C. Exclusion sociales et construction de l’ identite. Paris: L’ Harmattan, 1993. 270 p.

CARRETEIRO, T. C. O. C. História de vida. Revista Investigación, Montevideo, v. 1, p. 9-20, 1998.

COULON, A. A Escola de Chicago. São Paulo : Papirus, 1995. 136 p.

DUBOST, J. L'intervention psychosociologique. Paris: PUF. 1987. 352 p.

ENRIQUEZ, E. As figuras do poder. São Paulo: Via Lettera, 2007. 216 p.

ENRIQUEZ, E. El relato de vida: interfaz entre intimidad y vida colectiva. Perfiles Latinoamericanos, Mexico, n. 21, p. 35-47, Ene./Jun. 2002.

ENRIQUEZ, E. A organização em análise. Rio de Janeiro: Vozes, 1997. 302 p.

ENRIQUEZ, E. O trabalho de morte nas instituições. In: KAËS, R.; BLEGER, E.; ENRIQUEZ, E.; FORNARI, P.; FUSTIER, R.; ROUSSILLON, J.; VIDAL, J. P. A instituição e as instituições. São Paulo: Casa do Psicólogo, 1991. p. 73-101.

FERRAROTI, F. Historias de vida y Ciencias Sociales. Entrevista a Franco Ferrarotti. Perifèria - Revista de Recerca i Formació en Antropología, Bellaterra, v. 2, n. 5, p. 1-14, Dic. 2006.

FERRAROTI, F. Histoire et histoires de vie: le méthode biographique dans les sciences sociales. Paris: Librairie des Méridiens, 1983. 195 p.

FERRAROTI, F. As biografias como instrumento analítico e interpretativo. Cahiers Internationaux de Sociologie, Paris, v. LXIX, n. 1, p. 227-248, 1980. [tradução não autorizada]

GAULEJAC, V. Gestão como doença social: ideologia, poder gerencialista e fragmentação social. São Paulo: Idéias & Letras. 2007. 338 p.

GAULEJAC, V. As origens da vergonha. São Paulo: Via Lettera, 2006. 240 p.

GAULEJAC, V.; MARQUEZ, S. R.; RUIZ, E. T. História de vida – Psicoanálisis y Sociologia Clínica. Querétaro: Ediciones UAQ, 2005. 240 p.

GAULEJAC, V. Psicossociologia e Sociologia Clínica. In: ARAÚJO, J. N. G.; CARRETEIRO, T. C. O. C. (Org.). Cenários Sociais e Abordagem Clínica. São Paulo: Escuta; Belo Horizonte: Fumec, 2001. p. 35- 47.

GAULEJAC, V. La nevrose de classe: trajectoire sociale et conflits d'identité. 3. ed. Paris: Hommes et Groupes, 1999a. 310 p.

GAULEJAC, V. L'histoire en héritage: roman familial et trajectoire sociale. Paris: Desclée de Brouwer, 1999b. 168 p.

GOLDENBERG, M. A arte de pesquisar: como fazer pesquisa qualitativa em Ciências Sociais. Rio de Janeiro: Record. 1997. 112 p.

LE GRAND, M,: Â raconter son histoire. Les recits de vie. Sciences Humaines, Paris, n. 102, Fév, 2000.

LE VEN, M. M. Afeto e política. Belo Horizonte: FALE/UFMG, 2008. 227 p.

LHUILIER, D. . Filiações teóricas da clínica do trabalho. In: BENDASSOLLI, P.; SOBOLL, L. A. (Org.). Clínicas do trabalho: novas perspectivas para compreensão do trabalho na atualidade. São Paulo: Atlas. 2011. p. 22-58.

MORIN, E. Ciência com consciência. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1996. 268 p.

RHÉAUME, J. El relato de vida de vida colectivo y la aproximación clínica en ciencias sociales. Perfiles Latinoamericanos, Mexico, n. 21, p. 99-115, Ene./Jun. 2002.

THOMAS, W. I.; ZNANIECKI, F. El campesino polaco en Europa y en América. Madri: Boletim Oficial del Estado/Centro de Investigaciones Sociológicas, 2004. 422 p.




DOI: http://dx.doi.org/10.25113/farol.v2i5.3129

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Farol - Revista de Estudos Organizacionais e Sociedade



Classificação de Periódicos Qualis/CAPES (2013-2016)

 

Administração Pública e de Empresas, Ciências Contábeis e Turismo – B4
Biotecnologia – C
Ciências Ambientais – B4
Comunicação e Informação – B5
Educação – C
Engenharias III – B5
Geografia – B4
Interdisciplinar – B4
Planejamento Urbano e Regional / Demografia – B4
Psicologia – B3
Sociologia – B5


ISSN 2358-6311

 

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial 4.0 Internacional