SOBRE SEMELHANÇAS E DIFERENÇAS: COMPARANDO ARTIGOS DE TEMAS ESPELHOS DAS DIVISÕES DE EOR E GPR DA ANPAD

Rodrigo Serpa Pinto

Resumo


Considerando a similaridade de temáticas de pesquisa entre as áreas de Gestão de Pessoas, Relações de Trabalho e Estudos Organizacionais, entende-se que as fronteiras entre essas áreas são extremamente tênues emergindo a necessidade de um estreitamento do diálogo entre elas. Este trabalho teve como objetivo analisar os artigos selecionados pelos temas espelhos das Divisões Acadêmicas de EOR e GPR da ANPAD, com o intuito de verificar se havia convergência entre os temas, no que tange a visão de ciência e de sociedade, de acordo com o modelo de paradigma nas ciências sociais, desenvolvido por Burrel e Morgan (1979).

 


Palavras-chave


Estudos Organizacionais; Gestão de Pessoas e Relações de Trabalho; Temas Espelhos; Paradigmas nas Ciências Sociais.

Texto completo:

PDF

Referências


Andrade, C. R. (2009). Metáforas do trabalho sobre duas rodas: as relações de trabalho construídas pelo olhar do motoboy. In: Anais do Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, São Paulo, SP, Brasil, XXXIII.

Antunes, R., & Alves, G. (2004). As mutações no mundo do trabalho na era da mundialização do capital. Revista Educação e Sociedade, 25(87), 335-351.

Anpad. (2017). Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração. Disponível em: . Acesso em: Abril de 2017.

Berger, P., & Luckmann, T. (1999). A construção social da realidade (17a. ed.). Petrópolis: Vozes

Burrel, G., & Morgan, G. (1979). Part 1: In search of a framework 1. Assumptions about the nature of social science; 2. Assumptions about the nature of society. In: G. Burrel, & G. Morgan. Sociological paradigms and organizational analysis. London, Hallmark.

Carvalho Neto, A. (2001). Relações de trabalho e negociação coletiva na virada do milênio. Petrópolis: Vozes.

Carvalho Neto, A. (2010). Relações de trabalho e gestão de pessoas: entre o macro e o micro? Provocações epistemológicas. Anais do Encontro Anual da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, Rio de Janeiro, RJ, Brasil, XXXIV.

Carvalho Neto, A., Siqueira, M. V. S.; Silva, J. R. G., & Santos, j. n. (2009). Um convite a um diálogo mais intenso entre as áreas de RTs, GP, COR e EOR a partir da agenda de pesquisa das escolas norte-americana e francesa. Anais do Encontro Anual da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, São Paulo, SP, Brasil, XXXIII.

Cassandre, M. P., Canopf, L., Appio, J., & Bulgacov, Y. L. M. (2010). Gênero e estilo na prática das manipuladoras de alimentos: uma aproximação empírica aos estudos organizacionais na perspectiva sócio-histórica e cultural. Anais do Encontro Anual da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, Rio de Janeiro, RJ, Brasil, XXXIV.

Craide, A., Abdala, V. D., & Brito, A. C. (2010). “Eu vim de lá, (mas ninguém avisou!)”: reflexões sobre estratégias de gestão de pessoas voltadas à interculturalidade. Anais do Encontro Anual da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, Rio de Janeiro, RJ, Brasil, XXXIV.

Diniz, A. P. R., & Gandra, G. (2009). A ficção das políticas de diversidade nas organizações: as relações de trabalho comentadas por trabalhadores gays. Anais do Encontro Anual da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, São Paulo, SP, Brasil, XXXIII.

Egos. (2012). European Group for Organizational Studies. Disponível em: . Acesso em: Abril de 2017.

Estanislau, C., Castro, D. S. P., Castro, C. C., & Resch, S. (2010). As três dimensões da colonização do mundo do trabalho: subjetividade, corpo e arquitetura. Anais do Encontro Anual da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, Rio de Janeiro, RJ, Brasil, XXXIV.

Fantinel, L. D., & Bauer, M. A. L. (2009). Em nome do PAI: relações de trabalho e aprendizagem em um banco. Anais do Encontro Anual da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, São Paulo, SP, Brasil, XXXIII.

Faria, J. H. (2002). Economia política do poder: uma proposta teórico-metodológica para o estudo e a análise das organizações. Curitiba: UFPR/CEPPAD.

Faria, J. H., & Meneghetti, F. K. (2001). O sequestro da subjetividade e as novas formas de controle psicológico no trabalho: uma abordagem crítica ao modelo toyotista de produção. Anais do Encontro Anual da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, São Paulo, SP, Brasil, XXV.

Kuhn, T. (1987). Posfácio. In: A estrutura das revoluções científicas. São Paulo: Perspectiva.

Lima, R. J. C., Barbosa, A. C. Q., Baeta, A. M. C., & Giroletti, D. A. (2010). Tecendo a realidade com fragmentos do passado: estudo sobre a influência de aspectos identitários e culturais na construção de competências no complexo têxtil. Anais do Encontro Anual da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, Rio de Janeiro, RJ, Brasil, XXXIV.

Lima, R. J. C., Baeta, A. M. C., Barbosa, A. C. Q., & Andrade, L. A. G. (2009). Abordagem de competências: racionalidade legitimada, formalismo e faz de conta? Um estudo em organizações públicas e privadas. Anais do Encontro Anual da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, São Paulo, SP, Brasil, XXXIII.

Lincoln, Y., & Guba, E. G. (1994). Paradigmatic controversies, contradictions and emerging confluences (pp. 163-188). In: N. Denzin, & Y. S. Lincoln. The handbook of qualitative research. Thousand Oaks: SAGE.

Morgan, G. (2005). Paradigmas, metáforas e resoluções de quebra-cabeças na teoria das organizações. Revista de Administração de Empresas, 45(1), 58-71.

OIT. (2012). Organização Internacional do Trabalho. Disponível em: . Acesso em: Abril de 2017.

Paes de Paula, A. P., & Palassi, M. P. (2007). Subjetividade e simbolismo nos estudos organizacionais: um enfoque histórico cultural. In: A. P. Carrieri, & L. A. S. Saraiva (Org.). Simbolismo organizacional no Brasil. São Paulo: Atlas.

Siqueira, M. (2009). Gestão de pessoas e discurso organizacional. Curitiba: Juruá.

Souza, M. M., & Calbino, D. (2010). “Pessoas” são “recursos”? Raízes arqueológicas de mudanças no discurso da administração. Anais do Encontro Anual da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, Rio de Janeiro, RJ, Brasil, XXXIV.

Tonelli, M. J., Caldas, M. P., Lacombe, M. B., & Tinoco, T. (2003). Produção acadêmica em recursos humanos no Brasil: 1991-2000. Revista de Administração de Empresas, 43(1), 105-122.

Xavier, J. M., Camacho, A. B., & Ferreira, M. A. A. (2010). A percepção dos funcionários de recursos humanos sobre a comunicação interna em processos de combinação de empresas. Anais do Encontro Anual da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, Rio de Janeiro, RJ, Brasil, XXXIV.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Farol - Revista de Estudos Organizacionais e Sociedade

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Classificação de Periódicos Qualis/CAPES (2013-2016)

 

Administração Pública e de Empresas, Ciências Contábeis e Turismo – B4
Biotecnologia – C
Ciências Ambientais – B4
Comunicação e Informação – B5
Educação – C
Engenharias III – B5
Geografia – B4
Interdisciplinar – B4
Planejamento Urbano e Regional / Demografia – B4
Psicologia – B3
Sociologia – B5


ISSN 2358-6311

 

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial 4.0 Internacional