DON’T WORRY, BE HAPPY! O ENGODO DA QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO

Juliana G. Reis-Fortes, Vanessa Quinan Noronha, Carolina Saraiva Machado de Albuquerque Maranhão

Resumo


Programas de Qualidade de Vida no Trabalho (QVT) surgiram para melhorar a rotina de trabalho, visando aumentar a satisfação do funcionário e a produtividade. Porém, não deixam claro o papel do trabalhador, e, principalmente, quais os reais resultados alcançados por estes programas. Para compreender o trabalhador nesse contexto foi realizada uma pesquisa genealógica sobre o sentido do trabalho, enfatizando seus contornos adquiridos no (pelo) cenário capitalista. Verificaram-se algumas dissonâncias entre as teorias e a realidade do trabalho na era hegemônica capitalista. Para desvelar as ideologias em torno da QVT, realizou-se uma pesquisa conclusiva descritiva do tipo qualitativa nas publicações Exame e Você S.A, em edições no intervalo de 12 meses. A coleta de dados foi desenvolvida com base documental, do tipo desk research e composta da análise das reportagens sobre QVT. Os dados foram analisados através da técnica de análise de conteúdo, tendo como base espistemo-metodológica o materialismo dialético.


Palavras-chave


Qualidade de Vida no Trabalho, Sentido do Trabalho, Ideologia

Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE, L.G; FRANÇA, A.C.L. Estratégias de Recursos Humanos e Gestão da Qualidade de Vida no Trabalho: o stress e a expansão do conceito de qualidade total. Revista de Administração, São Paulo, v.33. 1998.

ANTUNES, Ricardo. Os Sentidos do Trabalho: ensaios sobre a afirmação e a negação do trabalho. São Paulo. Boitempo Editorial, 2009.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2002.

BRAZ, P. S.; REIS NETO, M. T.; MARANHÃO, C. M. S. de A.; SILVA, G. A. V. Explorando a Responsabilidade Social Empresarial, a Qualidade de Vida no Trabalho e a Qualidade de Vida: Interações e Independências. EnAnpad, Rio de Janeiro, 2011.

CAÑETE, Ingrid. Qualidade de Vida no Trabalho: muitas definições e inúmeros significados. In: Gestão Contemporânea de Pessoas: novas práticas, conceitos tradicionais. Porto Alegre. Bookman, 2010.

CARCANHOLO, Reinaldo A; PRIEB, Sérgio A. M. O Trabalho em Marx. In: Capital, essência e aparência – Volume I. São Paulo. Expressão Popular, 2011.

CARCANHOLO, Reinaldo A. Sobre o Fetichismo. In: Capital, essência e aparência – Volume I. São Paulo. Expressão Popular, 2011.

CHIAVENATO, Idalberto. Gestão de Pessoas: o novo papel dos recursos humanos nas organizações. Barueri: Manole, 2014.

DAMATTA, R. Carnavais, Malandros e Heróis: Para uma Sociologia do Dilema Brasileiro. Rio de Janeiro: Zahar, 1991.

DEJOURS, C. A Carga Psíquica do Trabalho. In: Psicodinâmica do Trabalho. São Paulo. Atlas, 2007.

FARIA, José Henrique de. Economia Política do Poder: uma crítica da teoria geral da administração. Curitiba. Juruá Editora, 2007.

FARIA, José Henrique de; LEAL, Anne Pinheiro. Do Treinamento à Universidade Corporativa: ideologia, dominação e controle. In: Análise Crítica das Teorias e Práticas Organizacionais. São Paulo. Editora Atlas, 2007.

FARIA, José Henrique de; MENEGHETTI, Francis Kanashiro. Dissimulações Discursivas e Violência no Trabalho. 2011. Disponível em: http://eppeo.org.br/?p=642. Acesso em: 14/07/2014.

FARIA, José Henrique de; MENEGHETTI, Francis Kanashiro. As Organizações e a Sociedade Unidimensional. In: Análise Crítica das Teorias e Práticas Organizacionais. São Paulo. Editora Atlas, 2007.

FARIA, José Henrique de; MENEGHETTI, Francis Kanashiro. O Sequestro da Subjetividade. In: Análise Crítica das Teorias e Práticas Organizacionais. São Paulo. Editora Atlas, 2007.

FERNANDES, Eda Conte. Qualidade de vida no trabalho: como medir para melhorar. Salvador: Casa da Qualidade, 1996.

FERRAZ, Deise Luiza da Silva. Pelo Fim da Dicotomia Exclusão / Inclusão: a questão do exército de reserva no capitalismo contemporâneo. In: A Construção da Justiça Social na América Latina. Porto Alegre. Tomo Editorial, 2013.

FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Mini Aurélio: o dicionário da língua portuguesa. Curitiba. Positivo, 2010.

GAULEJAC, Vincent de. Gestão Como Doença Social: ideologia, poder gerencialista e fragmentação social. São Paulo. Ideias & Letras, 2007.

GIL, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas, 1991.

HARVEY, David. O Enigma do Capital: e as crises do capitalismo. São Paulo. Boitempo Editorial, 2011.

IASI, Mauro. As Metamorfoses da Consciência de Classe: o PT entre a negação e o consentimento. São Paulo. Expressão Popular, 2006.

LEAL, A. P. Qualidade de Vida no Trabalho. 2004. Disponível em: http://eppeo.org.br/?p=233. Acesso em: 02/07/14.

LUKÁCS, Georg. Ontologia do Ser Social. São Paulo. Editora Ciências Humanas, 1979.

MARX, Karl. Manuscritos Econômico-Filosóficos. São Paulo. Boitempo Editorial, 2004.

MARX, Karl. O Capital: crítica da economia política – Livro I. São Paulo. Boitempo Editorial, 2013.

MÉSZÁROS, István. Para além do capital: rumo a uma teoria da transição. São Paulo. Boitempo Editorial, 2011.

MÉSZÁROS, István. O Poder da Ideologia. São Paulo. Boitempo Editorial, 2012.

MONTEIRO, E. M. A. et al. O Impacto da Qualidade de Vida no Trabalho (QVT) no Faturamento das Indústrias Metalúrgicas do Estado do Pará. Revista de Administração da UEG. Aparecida de Goiânia, v.2, 2011.

PAÇO-CUNHA, Elcemir. Notas Preliminares Sobre as Propriedades Estéticas da Mercadoria-Trabalho. In: Encontro de Gestão de Pessoas e Relações de Trabalho, 2009, Curitiba. Anpad, 2009.

PADILHA, Valquíria. Qualidade de Vida no Trabalho num Cenário de Precarização: a panaceia delirante. Revista Trabalho, Educação e Saúde, v.7, n.3, p. 549-563, nov 2009 / mar 2010.

PAIVA, Kely César Martins de; AVELAR, Vanessa Luciana Lima Melo de. Qualidade de Vida e Estresse Ocupacional em Central de Regulação Médica de Serviço de Atendimento Móvel de Urgência. In: Qualidade de Vida no Trabalho: Abordagens e Fundamentos. Rio de Janeiro. Elsevier, 2011.

SANT’ANNA, A. S, KILIMNIK, Z. M, MORAES, L. F. R. Antecedentes, Origens e Evolução do Movimento em Torno da Qualidade de Vida no Trabalho. In: Qualidade de Vida no Trabalho: Abordagens e Fundamentos. Rio de Janeiro. Elsevier, 2011.

SERÁFICO, Marcelo. Os Executivos das Transnacionais e a Reprodução das Desigualdades Sociais. In: Riqueza e Desigualdade na América Latina. Porto Alegre. Zouk, 2010.

TRAGTENBERG, Maurício. A Delinquência Acadêmica. Campinas, 1978. Disponível em: http://www.espacoacademico.com.br/014/14mtrag1990.htm. Acesso em: 15/07/2014.

TRAGTENBERG, Maurício. Administração, Poder e Ideologia. São Paulo. Editora UNESP, 2005.

VASCONCELOS, A. F. Qualidade de Vida no Trabalho: origem, evolução e perspectivas. Cadernos de Pesquisas em Administração, v.8. São Paulo, 2001.

VERGARA, S. C. Projetos e relatórios de pesquisa em Administração. São Paulo: Atlas, 2004.




DOI: http://dx.doi.org/10.25113/farol.v3i6.2661

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Farol - Revista de Estudos Organizacionais e Sociedade

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Classificação de Periódicos Qualis/CAPES (2013-2016)

 

Administração Pública e de Empresas, Ciências Contábeis e Turismo – B4
Biotecnologia – C
Ciências Ambientais – B4
Comunicação e Informação – B5
Educação – C
Engenharias III – B5
Geografia – B4
Interdisciplinar – B4
Planejamento Urbano e Regional / Demografia – B4
Psicologia – B3
Sociologia – B5


ISSN 2358-6311

 

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial 4.0 Internacional