ECONOMIA POLÍTICA DO PODER EM ESTUDOS ORGANIZACIONAIS

José Henrique de Faria

Resumo


O grupo de pesquisa “Economia Política do Poderem Estudos Organizacionais– EPPEO”, representa estudos que vêm sendo desenvolvidos desde 1978 sobre as relações de poder e mecanismos de controle nas organizações, entendidas estas objetivamente como unidades produtivas. A concepção que orienta o EPPEO é a de que compreender a estrutura material dos fenômenos organizacionais é um exercício de uma interação necessariamente contraditória, complexa, paradoxal e jamais definitiva entre o sujeito e o real, porque ambos, sujeito e realidade, encontram-se em um processo dinâmico, de forma que não há uma compreensão final e absoluta sobre como os fenômenos são, apenas uma compreensão histórica, da qual é necessário dar conta tendo como orientação a crítica intransigente a toda a forma de autoritarismo e a defesa de uma sociedade democrática e emancipada. 


Palavras-chave


Economia política do poder; Estudos organizacionais; EPPEO

Texto completo:

PDF

Referências


ADORNO, T. W. Sociologia. São Paulo: Ática, 1994.

BOTTOMORE, T. The Frankfurt School. London: Routledge, 1984.

BRONNER, S. E. Da teoria crítica e seus teóricos. Campinas: Papirus, 1997.

ETZIONI, A. Organizações modernas. São Paulo: Pioneira, 1976.

FARIA, J. H. Relações de poder e formas de gestão. Curitiba: Criar, 1985.

FARIA, J. H. O autoritarismo nas organizações. Curitiba: Criar, 1985b.

FARIA, J. H. Comissões de fábrica: poder e trabalho nas unidades produtivas. Curitiba: Criar, 1987.

FARIA, J. H. Tecnologia e processo de trabalho. Curitiba: Editora UFPR, 1992. (2ª. Ed. 1997)

FARIA, J. H. Economia política do poder: fundamentos. Curitiba: Criar, 2004. 3 Volumes.

FARIA, J. H. Org. Análise crítica das teorias e práticas organizacionais. São Paulo: Atlas, 2007.

FARIA, J. H. Gestão participativa: relações de poder e de trabalho nas organizações. São Paulo: Atlas, 2009.

HARVEY, D. Para entender O Capital. São Paulo: Boitempo, 2013.

HORKHEIMER, M. Critical theory: selected essays. New York: Seabury Prees, 1972.

HORKHEIMER, M. Critique of instrumental reason. New York: Seabury Press, 1974.

HORKHEIMER, M. Teoria crítica. São Paulo: Perspectiva: EDUSP, 1990.

LACAN, J. O Seminário livro 16: de um outro ao outro. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2008.

LUKÁCS, G. História e consciência de classe. Lisboa: Escorpião, 1974.

LUKÁCS, G. Ontologia do ser social. São Paulo: Editora Ciências Humanas, 1974b.

MARX, K. A contribution to the critique of political economy. New York: International Library Publishing, 1904.

MARX, K. Contribuição à crítica da economia política. São Paulo, Martins Fontes, 1977.

MARX, K. O capital: crítica da economia política. Livro I. São Paulo: Boitempo, 2013.

MARX, K.; ENGELS, F. A ideologia alemã. São Paulo: Boitempo, 2007.

OSBORN, R. Psicoanalisis y marxismo. Buenos Aires: Siglo Veinte, 1943

ROUANET, S. P. Teoria crítica e psicanálise. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1998.

VIANA, N. Universo psíquico e reprodução do capital. Ensaios freudo-marxistas. São Paulo: Escuta, 2008.




DOI: http://dx.doi.org/10.25113/farol.v1i1.2581

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais



Classificação de Periódicos Qualis/CAPES (2013-2016)

 

Administração Pública e de Empresas, Ciências Contábeis e Turismo – B4
Biotecnologia – C
Ciências Ambientais – B4
Comunicação e Informação – B5
Educação – C
Engenharias III – B5
Geografia – B4
Interdisciplinar – B4
Planejamento Urbano e Regional / Demografia – B4
Psicologia – B3
Sociologia – B5


ISSN 2358-6311

 

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial 4.0 Internacional