DA ESCRAVIDÃO A SERVIDÃO VOLUNTÁRIA: PERSPECTIVAS PARA A CLÍNICA PSICODINÂMICA DO TRABALHO NO BRASIL

Fernanda Sousa Duarte, Ana Magnólia Bezerra Mendes

Resumo


O presente artigo tem o objetivo de apresentar perspectivas futuras para a Clínica do Trabalho no Brasil, método de pesquisa-ação que surgiu na França, a partir de estudo bibliográfico da produção em clínica do trabalho no Brasil. Com o desenvolvimento da Psicodinâmica do Trabalho no Brasil e abertura de novos campos de estudo no país, observa-se diferenças na captação das demandas brasileiras que são marcadas pela história e cultura nacionais, além de outras idiossincrasias. A implicação do clínico do trabalho também como pesquisador, sensível não só a escuta do sofrimento – que representa o lugar do sujeito em sua relação com o trabalho – mas sobretudo a observação de seu contexto histórico e social tem se mostrado essencial para que essa clínica não se torne psicoterapia nem tampouco uma entrevista coletiva com fins de escrutinar os processos dinâmicos no trabalho no contexto brasileiro.


Palavras-chave


Clínica psicodinâmica do Trabalho; Trabalho; Brasil

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, J. J. Mobilização subjetiva para o prazer-sofrimento no trabalho dos taquígrafos parlamentares: uma prática em clínica psicodinâmica da cooperação. 106 f. 2013. Dissertação (Mestrado em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações) – Instituto de Psicologia, Universidade de Brasília, Brasília, 2013.

BAIERLE, T. C. Ser segurança em tempos de insegurança: sofrimento psíquico e prazer no trabalho da guarda municipal de Porto Alegre. 204 f. 2007. Dissertação (Mestrado em Psicologia Social e Institucional) – Instituto de Psicologia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2007.

BAIERLE, T. C.; MERLO, A. R. C. Trabalho, saúde mental e subjetividade em uma guarda municipal: estudo em psicodinâmica do trabalho. Cadernos de Psicologia Social do Trabalho, São Paulo, v. 11, n. 1, p. 69-81, 2008.

BARBARINI, N. Trabalho bancário e reestruturação produtiva: implicações no psiquismo dos trabalhadores. 186 f. 2001. Dissertação (Mestrado em Psicologia Social e Institucional) – Instituto de Psicologia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2001.

BECK, F. L. A dinâmica prazer-sofrimento psíquico dos trabalhadores da enfermagem de uma unidade de emergência de um hospital público. 112 f. 2010. Dissertação (Mestrado em Psicologia Social e Institucional) – Instituto de Psicologia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2010.

BONZATTO, E. A. Tripalium: O trabalho como maldição, como crime e como punição. Revista Direito em Foco, Registro, v. 3, n. 1, p. 1-37, 2011.

BOTTEGA, C. G. Loucos ou heróis: um estudo sobre prazer e sofrimento no trabalho dos educadores sociais com adolescentes em situação de rua. 201 f. 2009. Dissertação (Mestrado em Psicologia Social e Institucional) – Instituto de Psicologia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2009.

BOTTEGA, C. G.; MERLO, A. R. C. Prazer e sofrimento no trabalho dos educadores sociais com adolescentes em situação de rua. Cadernos de Psicologia Social do Trabalho, São Paulo, v. 13, n. 2, p. 259-275, 2010.

CAMUS, A. O mito de sísifo. 6. ed. Rio de Janeiro: Record, 2008. 160 p.

CASTRO, N. T.; TOLEDO, A. H. F.; ANDERY, A. M. N. Tramas do cotidiano: a psicodinâmica do trabalho em um conselho tutelar. Psicologia: Ciência e Profissão, Brasília, v. 30, n. 3, p. 662-675, set. 2010.

CASTRO, T. C. M. Reconhecimento e vida dos guardas municipais: clínica do trabalho na atividade de segurança pública. 142 f. 2010. Dissertação (Mestrado em Psicologia Social e Institucional) – Instituto de Psicologia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2010.

CASTRO, T. C. M.; MERLO, A. R. C. Reconhecimento e saúde mental na atividade de segurança pública. Psico, Porto Alegre, v. 42, n. 4, p. 474-480, out,/dez. 2011.

CHAUÍ, M. Introdução. In: SANTIAGO, H. (Org.). Contra a servidão voluntária. Belo Horizonte/São Paulo: Autêntica/Fundação Perseu Abramo, 2008. v. 1. p. 9-26.

DEJOURS, C.; ABDOUCHELI, E. Desejo ou motivação? A interrogação psicanalítica do trabalho. In: DEJOURS, C; ABDOUCHELI, E.; JAYET, C. (Org.). Psicodinâmica do trabalho: contribuições da escola Dejouriana à análise da relação prazer, sofrimento e trabalho. São Paulo: Atlas, 1994. p. 33-43.

DEJOURS, C. A loucura do trabalho: estudo de psicopatologia do trabalho. São Paulo: Cortez, 1992. 168 p.

DEJOURS, C. O fator humano. Rio de Janeiro: FGV, 1997. 102 p.

DEJOURS, C. O trabalho como enigma. In: LANCMAN, S.; SZNELWAR, L. (Org). Christophe Dejours: da psicopatologia à psicodinâmica do trabalho. Rio de Janeiro/Brasília: Fiocruz/ Paralelo 15, 2005. p. 127-140.

DEJOURS, C. Novas formas de servidão e de suicídio. In MENDES, A. M. (Org.). Trabalho e saúde:o sujeito entre emancipação e servidão. Curitiba: Juruá, 2008. p. 26-39.

DEJOURS, C. Psicopatologia do trabalho - psicodinâmica do trabalho. Laboreal, Porto, v. 7, n. 1, p. 13-16, 2011.

DEJOURS, C. Trabalho vivo: sexualidade e emancipação. Brasília: Paralelo 15, 2012. 440 p.

DEJOURS, C.; BÉGUE, F. Suicídio e trabalho: o que fazer? Brasília: Paralelo 15, 2010. 128 p.

DEJOURS, C. Uma nova visão do sofrimento humano nas organizações. In: CHANLAT, J.-F. (Org.). O indivíduo na organização: dimensões esquecidas. São Paulo: Atlas, 1993. p. 149-174.

DINIZ, A. S. B.; GOES, H. S. Espaço de escuta técnica qualificada: nova estratégia de mediação do sofrimento no trabalho. In: MENDES, A. M.; MERLO, A. R. C.; MORRONE, C. F.; FACAS, E. P. (Org.). Psicodinâmica e clínica do trabalho: temas interfaces e casos brasileiros. Curitiba: Juruá, 2010. p. 451-466.

DUARTE, F. S. Dispositivos para a escuta clínica do sofrimento no trabalho. 142 f. 2014. Dissertação (Mestrado em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações) – Instituto de Psicologia, Universidade de Brasília, Brasília, 2014.

DUARTE, F. S.; MENDES, A. M. Cuerpo docente: Análisis psicodinámico del trabajo de profesores reubicados de Brasilia, Brasil. Praxis: Revista de Psicología, Santiago, ano 15, n. 23, p. 115-134, 1 sem. 2013.

FERREIRA, A. S. A psicodinâmica do trabalho de profissionais de odontologia do centro ambulatorial de um hospital universitário. 106 f. 2013. Dissertação (Mestrado em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações) – Instituto de Psicologia, Universidade de Brasília, Brasília, 2013.

FERREIRA, M. C.; MENDES, A. M. Trabalho e riscos de adoecimento: o caso dos auditores fiscais da previdência social brasileira. Brasília: Ler, Pensar e Agir, 2003. 156 p.

FREITAS, L. G.; LIMA, S. C. C.; ANTONIO, C. A. Análise psicodinâmica do atendimento de vítimas de assédio moral no trabalho. In: MENDES, A. M. (Org.). Violência no trabalho: perspectivas da psicodinâmica, da ergonomia e da sociologia clínica. São Paulo: Mackenzie, 2010. p. 123-137.

GARCIA, W. I. Análise psicodinâmica do trabalho no tribunal de justiça do Amazonas: uma aplicação da clínica do trabalho e da ação. 109 f. 2011. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Faculdade de Psicologia, Universidade Federal do Amazonas, Manaus, 2011.

GARCIA, W. I.; LIMA, P. A. M; MORAES, R. D. Vivências de sofrimento no judiciário do Amazonas: o papel da organização do trabalho. In: MERLO, A. R. C.; MENDES, A. M.; MORAES, R. D. (Org.). O sujeito no trabalho: entre a saúde e a patologia. Curitiba: Juruá, 2013. p. 235-247.

GHIZONI, L. D.; MENDES, A. M.; CORGOZINHO, J. P. Uma proposta brasileira para a clínica psicodinâmica do trabalho. In: SCHLINDWEIN, V. L. D. C. (Org.). Saúde mental e trabalho na Amazônia: múltiplas leituras sobre prazer e sofrimento no trabalho. Porto Velho: EDUFRO, 2013. p. 25-38.

GHIZONI, L. D. Clínica psicodinâmica da cooperação na associação de catadores e catadoras de materiais recicláveis da região centro-norte de Palmas – TO (ASCAMPA). 308 f. 2013. Tese (Doutorado em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações) – Instituto de Psicologia, Universidade de Brasília, Brasília, 2013.

GOMES, M. L. B. M; LIMA, S. S. C; MENDES, A. M. Experiência em clínica do trabalho com profissionais de T&D de uma organização pública. Estudos e Pesquisas em Psicologia, Rio de Janeiro, v. 11, n. 3, p. 841-855, 2011.

LAFARGUE, P. O direito à preguiça. 2. ed. São Paulo: Hucitec/UNESP, 2000. 96 p.

LANCMAN, S.; GHIRARDI, M. G.; CASTRO, E. D.; TUACEK, T. A. Repercussões da violência na saúde mental de trabalhadores do Programa Saúde da Família. Revista de Saúde Pública, São Paulo, v. 43, n. 4, p. 682-688, jun. 2009.

LANCMAN, S.; SZNELWAR, L. I.; UCHILDA, S.; TUACEK, T. A. O trabalho na rua e a exposição à violência no trabalho: um estudo com agentes de trânsito. Interface – Comunicação, Saúde e Educação, Botucatu, v. 11, n. 21, p. 79-92, jan./abr. 2007.

LHUILIER, D. Filiações teóricas das clínicas do trabalho. In: BENDASSOLI, P. F.; SOBOLL, L. A. (Org.). Clínicas do trabalho. São Paulo: Atlas, 2001. p. 22-58.

LIMA, S. C. C. A fala em ação: experiência em psicodinâmica do trabalho no serviço público. In: MENDES, A. M.; MERLO, A. R. C.; MORRONE, C. F.; FACAS, E. P. (Org.). Psicodinâmica e clínica do trabalho: temas interfaces e casos brasileiros. Curitiba: Juruá, 2012. p. 365-379.

LIMA, S. C. C. O trabalho do cuidado: uma análise psicodinâmica. Psicologia, Florianópolis, v. 12, n. 2, p. 203-215, ago. 2012.

LIMA, S. C. C. Coletivo de trabalho e reconhecimento: uma análise psicodinâmica dos cuidadores sociais. 220 f. 2011. Tese (Doutorado em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações) – Instituto de Psicologia, Universidade de Brasília, Brasília, 2011.

LUPION, M. R. O. A gênese da história do trabalho e dos trabalhadores no Brasil e os paradigmas da “transição” e da “substituição”. Revista Tema Livre, Niterói, v. 5, n. 11, p. 30- 46, período 2006.

MACÊDO, K. B.; FLEURY, A. D.; BUENO, M.; PIRES, R. V. A constituição do espaço de discussão coletivo e suas vicissitudes: quatro estudos e uma reflexão. In: MERLO, A. R. C.; MENDES, A. M.; MORAES, R. D. (Org.). O sujeito no trabalho: entre a saúde e a patologia. Curitiba: Juruá, 2013. p. 215-234.

MAGNUS, C. N. Sob o peso dos grilhões: um estudo sobre a psicodinâmica do trabalho em um hospital psiquiátrico público. 275 f. 2009. Dissertação (Mestrado em Psicologia Social e Institucional) – Instituto de Psicologia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2009.

MARTINS, S. R. Intervenções em grupo na clínica do trabalho: uma experiência anunciada em sonho. In: MENDES, A. M.; MERLO, A. R. C.; MORRONE, C. F.; FACAS, E. P. (Org.). Psicodinâmica e clínica do trabalho: temas interfaces e casos brasileiros. Curitiba: Juruá, 2010. p. 348-363.

MARTINS, S. R.; MENDES, A. M. Espaço coletivo de discussão: a clínica psicodinâmica do trabalho como ação de resistência. Psicologia: Organizações e Trabalho, Florianópolis, v. 12, n. 2, p. 24-36, ago. 2012.

MARX, K. Mais-valia absoluta e relativa. In: MARX, K. O capital. Lisboa: Avante!, 2005. livro I, tomo 2. Disponível em http://www.marxists.org/portugues/marx/1867/capital/livro1/cap14/01.htm acesso em: 23 abr. 2014.

MEDEIROS, S. N. Clínica em psicodinâmica do trabalho com a unidade de operações aéreas do DETRAN: o prazer de voar e a arte de se manter vivo. 168 f. 2012. Dissertação (Mestrado em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações) – Instituto de Psicologia, Universidade de Brasília, Brasília, 2012.

MENDES, A. M. Psicodinâmica do trabalho: teoria, método e pesquisas. Casa do Psicólogo: São Paulo, 2007. 544 p.

MENDES, A. M.; ABRAHÃO, J. I. A influência da organização do trabalho nas vivências de prazer-sofrimento do trabalhador: uma abordagem psicodinâmica. Psicologia: Teoria e Pesquisa, Brasília, v. 2, n. 26, p. 179-184, maio/ago. 1996.

MENDES, A. M. Prazer e sofrimento no trabalho qualificado: um estudo exploratório um engenheiros de uma empresa pública de telecomunicações. 82 f. 1994. Dissertação (Mestrado em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações) – Instituto de Psicologia, Universidade de Brasília, Brasília, 1994.

MENDES, A. M. E ARAÚJO, L. K. R. Clínica da psicodinâmica do trabalho: práticas brasileiras. Brasília: ExLibris, 2011. 200 p.

MENDES, A. M.; ARAÚJO, L. K. R. Clínica da psicodinâmica do trabalho: o sujeito em ação. Curitiba: Juruá, 2012. 156 p.

MENDES, A. M.; DUARTE, F. S. Mobilização subjetiva. In: VIEIRA, F. O.; MENDES, A. M.; MERLO, A. R. C. (Org.) Dicionário crítico de gestão e psicodinâmica do trabalho. Curitiba: Juruá, 2013. p. 259-262.

MENDES, A. M.; ALVES, J. J.; FRANÇA, A. M. L. D. Análise da psicodinâmica do trabalho de taquígrafos parlamentares brasileiros. Pessoas & Sintomas, Braga, n. 15, p. 8-17, dez. 2011.

MENDES, A. M. Escuta analítica do sofrimento e o saber-fazer do clínico do trabalho. In: MENDES, A. M.; MORAES, R. D.; MERLO, A. R. C. (Org.). Trabalho & sofrimento: práticas clínicas e políticas. Curitiba: Juruá, 2014. p. 55-70.

MERLO, A. R. C.; MENDES, A. M. Perspectivas do uso da psicodinâmica do trabalho no Brasil: teoria, pesquisa e ação. Cadernos de Psicologia Social do Trabalho, São Paulo, v. 12, n. 2, p. 141-156, 2009.

MERLO, A. R. C.; DORNELLES, R. A. N.; BOTTEGA, C. G.; TRENTINI, L. O trabalho e a saúde dos oficiais de Justiça Federal de Porto Alegre. Cadernos de Psicologia Social do Trabalho, São Paulo, v. 15, n. 1, p. 101-113, 2012.

MOLINIER, P. A. A dimensão do cuidar no trabalho hospitalar: abordagem psicodinâmica do trabalho de enfermagem e dos serviços de manutenção. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, São Paulo, v. 33, n. 118, p. 6-16, jul./dez. 2008.

MOURA, P. M. F. Vivências de prazer e sofrimento no trabalho de atendimento ao público de servidores do judiciário no Amazonas. 102 f. 2013. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Faculdade de Psicologia, Universidade Federal do Amazonas, Manaus, 2013.

MÜLLER, D. Z. Uma polícia especial: possibilidades de prazer no trabalho de policiais militares do pelotão de operações especiais. 113 f. 2012. Dissertação (Mestrado em Psicologia Social e Institucional) – Instituto de Psicologia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2012.

ONU. Declaração universal dos direitos humanos. New York: ONU, 1948. 6 p.

PEREZ, K. V. "Se eu tirar o trabalho, sobra um cantinho que a gente foi deixando ali": clínica da psicodinâmica do trabalho na atividade de docentes no ensino superior privado. 251 f. 2012. Dissertação (Mestrado em Psicologia Social e Institucional) – Instituto de Psicologia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2012.

PÉRILLEUX, T. O trabalho e os destinos políticos do sofrimento. In: MERLO, A. R. C.; MENDES, A. M; MORAES, R. D. (Org.). O sujeito no trabalho: entre a saúde e a patologia. Curitiba: Juruá, 2013. p. 73-92.

PRADO JUNIOR, C. História econômica do Brasil. São Paulo: Brasiliense, 2006. 365 p.

REIS, J. T. Manual prático de direito do trabalho. 2. ed. Curitiba: Juruá, 2007. 232 p.

ROSAS, M. L. M. Análise psicodinâmica do trabalho de professores de uma escola rural do município de Iranduba/AM. 145 f. 2012. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Faculdade de Psicologia, Universidade Federal do Amazonas, Manaus, 2012.

ROSSI, E. Z. Reabilitação e reinserção no trabalho de bancários portadores de LER/DORT: análise psicodinâmica. 267 f. 2008. Dissertação (Mestrado em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações) – Instituto de Psicologia, Universidade de Brasília, Brasília, 2008.

ROSSI, E. Z. Análise clínica da organização do trabalho bancário e o processo de adoecimento por LER/DORT. In: MENDES, A. M.; MERLO, A. R. C.; MORRONE, C. F.; FACAS, E. P. (Org.). Psicodinâmica e clínica do trabalho: temas interfaces e casos brasileiros. Curitiba: Juruá, 2010. p. 381-395.

SANTOS-JUNIOR, A. V. Organização do trabalho e prazer sofrimento dos profissionais de um centro de atenção psicossocial. 179 f. 2009. Dissertação (Mestrado em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações) – Instituto de Psicologia, Universidade de Brasília, Brasília, 2009.

SANTOS- JUNIOR, A. V.; MENDES, A M.; ARAÚJO, L. K. R. Experiência em clínica do trabalho com bancários adoecidos por LER/ DORT. Psicologia: Ciência e Profissão, Brasília, v. 29, n. 3, p. 614- 626, 2009.

SELIGMANN-SILVA, E. Da psicopatologia à psicodinâmica do Trabalho: marcos de um percurso. In: DEJOURS, C; ABDOUCHELI, E.; JAYET, C. (Org.). Psicodinâmica do trabalho: contribuições da escola dejouriana à análise da relação prazer, sofrimento e trabalho. São Paulo: Atlas, 1994. p. 9-19.

SILVA, M. C. S. Q.; MENDES, A. M. B. A prática em clínica psicodinâmica do trabalho como estratégia de promoção da saúde. Revista Tempus-Actas de Saúde Coletiva, Brasília, v. 6, n. 2, p. 195-207, 2012.

SZNELWAR, L.; UCHIDA, S. Ser auxiliar de enfermagem: um olhar da psicodinâmica do trabalho. Revista Produção, São Paulo, v. 14, n. 3, p. 87-98, set./dez. 2004.

TRAESEL, E. S. A psicodinâmica do reconhecimento: sofrimento e realização no contexto dos trabalhadores da enfermagem de um hospital do interior do Rio Grande do Sul. 128 f. 2007. Dissertação (Mestrado em Psicologia Social e Institucional) – Instituto de Psicologia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2007.

TRAESEL, E. S.; MERLO, A. R. C. A psicodinâmica do reconhecimento no trabalho de enfermagem. Psico, Porto Alegre, v. 40, n. 1, p. 102-119, jan./mar. 2009.

TRAESEL, E. S.; MERLO, A. R. C. Trabalho imaterial no contexto da enfermagem hospitalar: vivências coletivas dos trabalhadores na perspectiva da psicodinâmica do trabalho. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, São Paulo, v. 36, n. 123, p. 40-55, 2011.

VAN DER LINDEN, M. História do trabalho: o velho, o novo e o global. Revista Mundos do Trabalho, Florianópolis, v. 1, n. 1, p. 11-26, 2009.

WEBER, M. A ética protestante e o espírito do capitalismo. São Paulo: Pioneira, 1967. 190 p.

WOOD, E. M. A origem do capitalismo. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001. 144 p.




DOI: http://dx.doi.org/10.25113/farol.v2i3.2579

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais



Classificação de Periódicos Qualis/CAPES (2013-2016)

 

Administração Pública e de Empresas, Ciências Contábeis e Turismo – B4
Biotecnologia – C
Ciências Ambientais – B4
Comunicação e Informação – B5
Educação – C
Engenharias III – B5
Geografia – B4
Interdisciplinar – B4
Planejamento Urbano e Regional / Demografia – B4
Psicologia – B3
Sociologia – B5


ISSN 2358-6311

 

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial 4.0 Internacional