PODER, DIFERENÇA E SUBJETIVIDADE: A PROBLEMATIZAÇÃO DO NORMAL

Eloísio Moulin de Souza

Resumo


O presente artigo tem como objetivo apresentar o Grupo de Estudos sobre Poder em Organizações (GEPO). Neste sentido, vale ressaltar que o GEPO busca romper com o mainstream funcionalista presente nos estudos organizacionais, problematizando as relações de poder e saber que produzem o “normal” e o “diferente” por meio da construção discursiva de categorias identitárias, além de problematizar aspectos epistemológicos e ontológicos relacionados aos estudos organizacionais. Os principais conceitos, temas, autores e pesquisas trabalhadas pelo GEPO são apresentados. 


Palavras-chave


GEPO; Pós-estruturalismo; Diferença; Poder; Identidade.

Texto completo:

PDF

Referências


BRAIDOTTI, R. Nomadic subjects: embodiment and sexual difference in contemporary feminist theory. New York: Columbia University Press, 1994. 352 p.

BUTLER, J. Gender trouble: feminism and the subversion of identity. New York: Routledge Classics, 1990. 272 p.

BUTLER, J. Bodies that matter: on the discursive limits of “sex”. New York: Routledge, 1993. 304 p.

BUTLER, J. Undoing gender. Oxfordshire: Routledge, 2004. 288 p.

COHEN, C. J. Punks, bulldaggers, and welfare queens: the radical potential of queer politics? GLQ: A Journal of Lesbian and Gay Studies, Durham, v. 3, n. 4, p. 437-465, May 1997.

COOPER, R. Organization/disorganization. Social Science Information, London, v. 25, n. 2, p. 299-335, June 1986.

COOPER, R. Organs of process: rethinking human organization, Organization Studies, London, v. 28, n. 10, p. 1547-1573, 2007.

DALE, K.; BURRELL, G. What shape are we in? Organization theory and the organized body. In: HASSARD, J.; HOLLIDAY, R.; WILLMOTT, H. (Ed.). Body and organization. London: SAGE, 2000. p. 15-30.

DELEUZE, G. Foucault. Lisboa: Edições 70, 1988. 183 p.

DREYFUS, H. L.; RABINOW, P. Michel Foucault, uma trajetória filosófica: para além do estruturalismo e da hermenêutica. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1995. 380 p.

FONSECA. M. Michel Foucault e a constituição do sujeito. São Paulo: EDUC, 2011. 144 p.

FOUCAULT, M. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1979. 432 p.

FOUCAULT, M. História da sexualidade III: O cuidado de si. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1985. 245 p.

FOUCAULT, M. Vigiar e punir: nascimento da prisão. Petrópolis: Vozes, 1987. 264 p.

FOUCAULT, M. História da sexualidade I: A vontade de saber. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1988. 164 p.

FOUCAULT, M. O sujeito e o poder. In: DREYFUS, H. L.; RABINOW, P. Michel Foucault, uma trajetória filosófica: para além do estruturalismo e da hermenêutica. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1995. p. 231-249.

FOUCAULT, M. Em defesa da sociedade: curso no Collége de France. São Paulo: Martins Fontes. 1999. 396 p.

FOUCAULT, M. A arqueologia do saber. 6. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2002. 244 p.

FOUCAULT, M. A verdade e as formas jurídicas. Rio de Janeiro: NAU, 2003a. 160 p.

FOUCAULT, M. A ordem do discurso. 9. ed. São Paulo: Edições Loyola, 2003b. 80 p.

FOUCAULT, M. Estratégia, poder-saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2003c. 464 p.

FOUCAULT, M. Ética, sexualidade, política. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2004. 392 p.

HERRING, C.; HENDERSON, L. From affirmative action to diversity: toward a critical diversity perspectives. Critical Sociology, London, v. 38, n. 5, p. 629-643, Sep. 2012.

HOLVINO, E.; FERDMAN, B. M.; MERRILL-SANDS, D. Creating and sustaining diversity and inclusion in organizations: Strategies and approaches. In: STOCKDALE, M. S.; CROSBY, F. J. (Ed.), The psychology and management of workplace diversity. Malden: Blackwell, 2004. p. 245-276.

LOURO, G. L. Um corpo estranho: ensaios sobre sexualidade e teoria queer. Belo Horizonte: Autêntica, 2004. 96 p.

LOURO, G. L. Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós-estruturalista. Petrópolis: Vozes, 2008. 184 p.

MACHADO, R. Introdução: por uma genealogia do poder. In: FOUCAULT, M. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1979. p. VII-XIII.

METCALFE, B. D.; WOODHAMS, C. Introduction: new directions in gender, diversity and organization theorizing: re-imagining feminist post-colonialism, transnationalism and geographies of power. International Journal of Management Review, Oxford, v. 14, n. 2, p. 123-140, June 2012.

MUNRO, R. Unmanaging/disorganisation, Ephemera: critical dialogues on organization, Warwick, v. 1, n. 4, p. 395-403, Nov. 2001.

PRECIADO, B. Manifiesto contra sexual. Madrid: Editorial Opera Prima, 2002. 224 p.

SCOTT, J. W. Gender: a useful category of historical analysis. American Historical Review, Oxford, v. 91, n. 5, p. 1053-1075, Dec. 1986.

SEDGWICK, E. K. Epistemology of the closet. Berkeley: University of California Press, 2008. 280 p.

SOUZA, E. M. Pós-modernidade nos estudos organizacionais: equívocos, antagonismos e dilemas. Cadernos EBAPE.BR, Rio de Janeiro, v. 10, n. 2, p. 270-283, jun. 2012.

SOUZA, E. M.; BIANCO, M. F. Subvertendo o desejo no teatro das organizações: problematizações contemporâneas sobre o desejo e a expansão da vida nas relações de trabalho. Cadernos EBAPE.BR, Rio de Janeiro, v. 9, n. 2, p. 394-411, jun. 2011.

SOUZA, E. M.; BIANCO, M. F.; MACHADO, L. D. JUNQUILHO, G. Contribuições de Foucault e os estudos organizacionais sobre poder. Organizações & Sociedade, Salvador, v. 13, n. 36, p. 13-25, jan./mar. 2006.

SOUZA, E. M.; CARRIERI, A. P. A analítica queer e seu rompimento com a concepção binária de gênero. Revista de Administração Mackenzie, São Paulo, v. 11, n. 3, p. 46-70, maio/jun. 2010.

SOUZA, E. M.; COSTA, A. M. Usos e significados do conhecimento histórico em estudos organizacionais: uma (re)leitura do taylorismo sob a perspectiva do poder disciplinar. Cadernos EBAPE.BR, Rio de Janeiro, v. 11, n. 1, p. 1-15, mar. 2013.

SOUZA, E. M.; MACHADO, L. D.; BIANCO, M. F. O homem e o pós-estruturalismo foucaultiano: implicações nos estudos organizacionais. Organizações & Sociedade, Salvador, v. 15, n. 47, p. 71-86, out./dez. 2008.

SOUZA, E. M.; PETINELLI-SOUZA, S.; SILVA, A. R. L. O pós-estruturalismo e os estudos críticos de gestão: da busca pela emancipação à constituição do sujeito. Revista de Administração Contemporânea, Curitiba, v. 17, n. 2, p. 198-217, mar./abr. 2013.

SULIVAN, N. A critical introduction to queer theory. New York: New York University Press, 2003. 240 p.

WATSON, K. Queer theory. Group Analysis, London, v. 38, n. 1, p. 67-81, Mar. 2005.

ZANONI, P.; JANSSENS, M.; BENSCHOP, Y.; NKOMO, S. Unpacking diversity, grasping inequality: rethinking difference through critical perspectives. Organization, London, v. 17, n. 1, p. 9-29, Jan. 2010.




DOI: http://dx.doi.org/10.25113/farol.v1i1.2556

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais



Classificação de Periódicos Qualis/CAPES (2013-2016)

 

Administração Pública e de Empresas, Ciências Contábeis e Turismo – B4
Biotecnologia – C
Ciências Ambientais – B4
Comunicação e Informação – B5
Educação – C
Engenharias III – B5
Geografia – B4
Interdisciplinar – B4
Planejamento Urbano e Regional / Demografia – B4
Psicologia – B3
Sociologia – B5


ISSN 2358-6311

 

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial 4.0 Internacional