PSICODINÂMICA DO TRABALHO E SOFRIMENTO NA LITERATURA DO “POETA PROLETÁRIO”

José Luis Felicio Carvalho, Marina Dias de Faria, Alessandra de Sá Mello da Costa, Sylvia Constant Vergara

Resumo


Organizações têm sido representadas como locais propícios ao sofrimento, notadamente no que tange ao desenvolvimento de patologias físicas e mentais decorrentes de estruturas e processos de trabalho. Nesta pesquisa de cunho transdisciplinar, o sofrimento laboral é abordado por meio das contribuições legadas pela arte do escritor Charles Bukowski – celebrado pelos críticos como “o Poeta Proletário”. O objetivo do texto é apresentar a obra literária de Charles Bukowski como recurso de pesquisa e reflexão para dar suporte à análise do sofrimento humano nas organizações, em consonância com a perspectiva da psicodinâmica do trabalho (PDT) desenvolvida por Christophe Dejours. Estabelecida como disciplina científica, a PDT tem por meta perscrutar a relação dicotômica entre o prazer e o sofrimento que emerge a partir do encontro entre um sujeito ávido por realização profissional com uma organização de trabalho em que a dor independe de sua vontade.

Palavras-chave


Psicodinâmica do trabalho. Sofrimento laboral. Transdisciplinaridade.

Texto completo:

PDF

Referências


ADORNO, T. Teoria estética. Lisboa: Edições 70, 1998. 555 p.

ALDERSON, M. La psychodynamique du travail: objet, considérations épistémologiques, concepts et prémisses théoriques. Santé Mentale au Québec, Montréal, v. 29, n. 1. p. 243-260, 2004.

ALVES, L. Por uma teoria da administração que compartilhe a história da cultura brasileira. Revista da Faculdade de Administração e Economia, São Bernardo do Campo, v. 1, n. 1, p. 3-29, 2009.

ARANTES, P. Sale boulot: uma janela sobre o mais colossal trabalho sujo da história. Tempo Social, São Paulo, v. 23, n. 1, p. 31-60, jun. 2011.

ARENDT, H. Eichmann em Jerusalém: um relato sobre a banalidade do mal. São Paulo: Companhia das Letras, 1999. 342 p.

ASSIS, D.; MACEDO, K. Psicodinâmica do trabalho dos músicos de uma banda de blues. Psicologia & Sociedade, Porto Alegre, v. 20, n. 1, p. 117-124, jan./abr. 2008.

BAÊTA, A. Saramago no ensino e aprendizagem de metodologia da pesquisa. In: DAVEL, E., VERGARA, S.; GHADIRI, D. (Org.). Administração com arte: experiências vividas de vivência e aprendizagem. São Paulo, Atlas, 2007. p. 101-108.

BIDET, A. Le travail et l’économique, pour un regard anthropologique. Sociologie du Travail, Paris, v. 43, n. 2, p. 215-234, Feb. 2001.

BIGNA, D. Life on the margins: the autobiographical fiction of Charles Bukowski. 171 f. 2005. Dissertação (Master of Arts) – School of Humanities and Social Sciences, University of New South Wales at the Australian Defence Force Academy, Sydney, 2005.

BOUVET, C. Corps, psychose et travail. L’Évolution Psychiatrique, Nanterre, v. 70, n. 3, p. 545-555, jul./set. 2005.

BUKOWSKI, C. Pedaços de um caderno manchado de vinho. Porto Alegre: L&PM, 2010. 336 p.

BUKOWSKI, C. Factótum. Porto Alegre: L&PM, 2007a. 184 p.

BUKOWSKI, C. Fabulário geral do delírio cotidiano: ereções, ejaculações e exibicionismos – parte II. 2. ed. Porto Alegre: L&PM, 2007b. 288 p.

BUKOWSKI, C. Ao sul de lugar nenhum. Porto Alegre: L&PM, 2008. 240 p.

BUKOWSKI, C. Cartas na rua. 6. ed. São Paulo: Brasiliense, 2003. 192 p.

BUKOWSKI, C. Notas de um velho safado. Porto Alegre: L&PM, 2000. 306 p.

CALONNE, D. Apresentação. In: BUKOWSKI, C. Pedaços de um caderno manchado de vinho. Porto Alegre: L&PM, 2010. p. 9-24.

CARDOSO, M. Christophe Dejours (entrevista). Ágora: Estudos em Teoria Psicanalítica, Rio de Janeiro, v. 4, n. 22, p. 89-94, jul./dez. 2001

COHEN, C. How literature may be used to assist in the education of managers. The Learning Organization, Bingley, v. 5, n. 1, p. 6-14, 1998.

DAVEL, E.; VERGARA, S.; GHADIRI, D. Administração com arte: papel e impacto da arte no processo ensino-aprendizagem. In: DAVEL, E., VERGARA, S.; GHADIRI, D. (Org.). Administração com arte: experiências vividas de vivência e aprendizagem. São Paulo, Atlas, 2007. p. 13-26.

DE COCK, C.; LAND, C. Organization/literature: exploring the seam. Organization Studies, London, v. 27, n. 4, p. 517-535, 2006.

DEJOURS, C. Trabalho vivo – sexualidade e trabalho. Brasília: Paralelo 15, 2012. 440 p.

DEJOURS, C. Corps et psychanalyse. L’Information Psychiatrique, Nanterre, v. 85, n. 3, p. 227-234, Mar. 2009.

DEJOURS, C. Vulnérabilité psychopathologique et nouvelles formes d’organisation du travail (approche étiologique). L’Information Psychiatrique, Nanterre, v. 83. n. 4, p. 269-275, Avr. 2007.

DEJOURS, C. Subjetividade, trabalho e ação. Produção, São Paulo, v. 14, n. 3, p. 27-34, set./dez. 2004.

DEJOURS, C. A banalização da injustiça social. 4. ed. Rio de Janeiro: FGV, 2001. 156 p.

DEJOURS, C. A loucura do trabalho. 5. ed. São Paulo: Cortez/Oboré, 1992. 168 p.

DEJOURS, C.; ABDOUCHELI, E. Itinerário teórico em psicopatologia do trabalho. In: DEJOURS, C., ABDOUCHELI, E.; JAYET, C. Psicodinâmica do trabalho: contribuições da escola dejouriana à análise da relação prazer, sofrimento e trabalho. São Paulo: Atlas, 1993. p. 119-145.

DEJOURS, C. ; DESSORS, D. ; DESRIAUX, F. Por um trabalho, fator de equilíbrio. Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 33, n. 3, p. 98-104, meio/jun. 1993.

EMMENDOERFER, M.; QUEIROZ, E.; BARBOSA, D.; OLIVEIRA, A. Estudos pluridisciplinares em administração: uma análise das contribuições da teoria do comércio de Fernando Pessoa para o ensino e a aprendizagem em marketing. In: ENCONTRO ANUAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM ADMINISTRAÇÃO, XXXII, 2008, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: ANPAD, 2008.

FACCHINETTI, C. Maneiras de padecer, de fruir e (se) construir: sobre a psicodinâmica do trabalho e seu sujeito. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, Rio de Janeiro, v. 16, n. 4, p. 1120-1124, out./dez. 2009.

FAŸ, E. A critical and phenomenological genealogy of the question of the real in Western economics and management. Society and Business Review, Bingley, v. 2, n. 2, p. 193-203, 2007.

FERREIRA, R. Ficção literária no ensino e aprendizagem de gestão com pessoas. In: DAVEL, E., VERGARA, S.; GHADIRI, D. (Org.). Administração com arte: experiências vividas de vivência e aprendizagem. São Paulo, Atlas, 2007. p. 109-117.

FISCHER, T.; DAVEL, E.; VERGARA, S.; GHADIRI, D. Razão e sensibilidade no ensino de administração: a literatura como recurso estético. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 41, n. 5, p. 935-956, set./out. 2007.

FORD, H. Os princípios da prosperidade. São Paulo/Rio de Janeiro: Freitas Bastos, 1964. 486 p.

FOUCAULT, M. Vigiar e punir. 20. ed. Petrópolis: Vozes, 1987. 264 p.

FRANCO, T. A centralidade do trabalho na visão da psicodinâmica de Dejours. Caderno CRH, Salvador, v. 17, n. 41, p. 309-321, maio/ago. 2004.

FREITAS, J. Ensaios literários e a dimensão tácita do conhecimento nas organizações. In: ENCONTRO DE ESTUDOS ORGANIZACIONAIS, IV, 2006. Porto Alegre. Anais... Porto Alegre: ANPAD, 2006.

GOMIDE, A. Notas sobre suicídio no trabalho à luz da teoria crítica da sociedade. Psicologia: Ciência e Profissão, Brasília, v. 33, n. 2, p. 380-395, 2013.

GRISCI, C.; BESSI, V. Modos de trabalhar e de ser na reestruturação bancária. Sociologias, Porto Alegre, v. 6, n. 12, p. 160-200, jul./dez. 2004.

GRISCI, C.; PIVETTA, A.; GOMES, S. Gênero, saúde e risco no cotidiano do trabalho. In: ZANELLA, A.; SIQUEIRA, M.; LHULLIER, L.; MOLON, S. (Org.). Psicologia e práticas sociais. Rio de Janeiro: Centro Edelstein de Pesquisas Sociais, 2008. p. 347-366.

HALLACK, F.; SILVA, C. A reclamação nas organizações do trabalho: estratégia defensiva e evocação do sofrimento. Psicologia & Sociedade, Porto Alegre, v. 17, n. 3, p. 67-72, set./dez. 2005.

HARRISON, R. Against the American dream. Santa Rosa: Black Sparrow Press, 1994. 323 p.

HELOANI, R. Gestão e organização no capitalismo globalizado: história da manipulação psicológica no mundo do trabalho. São Paulo: Atlas, 2003. 240 p.

HELOANI, R.; LANCMAN, S. Psicodinâmica do trabalho: o método clínico de intervenção e investigação. Produção, São Paulo, v. 14, n. 3, p. 77-86, set./dez. 2004.

JABBOUR, C. HRM, ergonomics and work psychodynamics: a model and a research agenda. Humanomics, Bingley, v. 27, n. 1,. p. 53-60, FEB. 2011.

JACQUES, N. Abordagens teórico-metodológicas em saúde/doença mental e trabalho. Psicologia & Sociedade, Belo Horizonte, v. 15, n. 1, p. 97-116, jan./jun. 2003.

JAIME JR., P. Um texto, múltiplas interpretações: antropologia hermenêutica e cultura organizacional. Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 42, n. 4, p. 72-83, out./dez. 2007.

LALLEMENT, M. ; MARRY, C. ; LORIOL, M. ; MOLINIER, P. ; MARICHALER, P.; MARTIN, E. Maux du travail: dégradation, recomposition ou illusion? Sociologie du Travail, Paris, v. 53, n. 1, p. 3-36, Jan./Mar. 2011.

LANCMAN, S. ; SZNELWAR, L. Christophe Dejours: da psicopatologia à psicodinâmica do trabalho. Brasilia/Rio de Janeiro: Paralelo 15/Fiocruz, 2004. 512 p.

LIMONGI-FRANÇA, A. Psicologia do trabalho. São Paulo: Saraiva, 2008. 320 p.

MARTINS, S. Contemporaneidade: uma psicopatia americana? Psicologia em Estudo, Maringá, v. 13, n. 1, p. 35-42, jan./mar. 2008.

MENDES, A. Da psicodinâmica à psicopatologia do trabalho. In: MENDES, A. (Org.) Psicodinâmica do trabalho: teoria, método e pesquisas. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2007. p. 29-48.

MERLEAU-PONTY, M. O olho e o espírito. São Paulo: Cosac Naify, 2004. 192 p.

MERLO, A.; MENDES, A. Perspectivas do uso da psicodinâmica do trabalho no Brasil: teoria, pesquisa e ação. Cadernos de Psicologia Social do Trabalho, São Paulo, v. 12, n. 2, p. 141-156, 2009.

MEYER, A.; GUIMARÃES, V. “Mais prazer ou mais sofrimento?” – um estudo com trabalhadores de uma agência bancária. In: ENCONTRO DE GESTÃO DE PESSOAS E RELAÇÕES DE TRABALHO, IV, 2013, Brasília. Anais... Brasília: ANPAD, 2013.

MEZERAI, M.; DAHANE, A.; TACHON, J. Dépression dans le milieu du travail. La Presse Médicale, Ultrecht, v. 35, n. 5, part 2, p. 823-830, Mai 2006.

MORGAN, G. Imagens da organização. São Paulo: Atlas, 1996. 421 p.

NASSIF, L. Origens e desenvolvimento da psicopatologia do trabalho na França (século XX): uma abordagem histórica. Memorandum, Belo Horizonte, v. 8, p. 79-87, abr. 2005.

NICOLAU, M. O pesadelo americano: Charles Bukowski e os limites do American dream. In: ENCONTRO REGIONAL DE HISTÓRIA, 12, 2006, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: ANPUH, 2006.

OLIVEIRA, F.; CRUZ, F. Revitalizando o processo ensino-aprendizagem em administração. Cadernos EBAPE.BR, Rio de Janeiro, v. 5, numero especial, p. 1-13, jan. 2007.

PAIVA, K.; DUTRA, M.; BARROS, V.; SANTOS, A. Estresse ocupacional e burnout em jovens trabalhadores. In: ENCONTRO ANUAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM ADMINISTRAÇÃO, XXXVII, 2013, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: ANPAD, 2013.

PLAZA, J. Arte/ciência: uma consciência. ARS, São Paulo, v. 1, n. 1, p. 37-47, 2003.

PORCHER, J. Bien-être et souffrance en élevage: conditions de vie au travail des personnes et des animaux. Sociologie du Travail, Paris, v. 45, n. 1, p. 27-43, Jan./Mar. 2003.

RAMOS, C. A dominação do corpo no mundo administrado: uma questão para a psicologia social. Psicologia: Ciência e Profissão, Brasília, v. 24, n. 1, p. 56-63, 2004.

REGO, A.; CUNHA, M.; WOOD JR., T. Kafka e o estranho mundo da burocracia. São Paulo: Atlas, 2010. 120 p.

RHODES, C. “A weariness beyond fatigue”: testifying to organizational resistance in Charles Bukowski’s Factotum. Working Paper n. 2007/9. Sydney: University of Technology Sydney, 2007. p. 1-15. (School of Management Working Paper Series)

ROSS, S. Introduction: working-class fictions. Modern Fiction Studies, Baltimore, v. 47, n. 1, p. 1-11, Spring 2001.

RUAS, R. Literatura, dramatização e formação gerencial: a apropriação de práticas teatrais ao desenvolvimento de competências gerenciais. Organizações & Sociedade, Salvador, v. 12, n. 32, p. 121-142, jan./mar. 2005.

SCLIAR, M. Engajamento na literatura brasileira. Revista Sinpro-Rio, Rio de Janeiro, v. 3, n. 4, p. 10-14, 2009.

SICHERE, P. Douleur et travail: quid de la psychodynamique? Questions posées à Isabelle Gernet. Douleurs: Évaluation, Diagnostic, Traitement, Berlin, v. 11, n. 3, p. 135-140, 2010.

SOMMERMAN, A. Inter ou transdisciplinaridade: da fragmentação disciplinar ao novo diálogo entre os saberes. São Paulo: Paulus, 2006. 76 p.

SOUNES, H. Charles Bukowski: une vie de fou. Mônaco: Éditions du Rocher, 2008. 386 p.

TAVARES, R. Das ruas ao texto literário. Revista Sinpro-Rio, Rio de Janeiro, v. 3, n. 4, p. 16-21, , 2009.

THOMPSON, J.; MCGIVERN, J. Parody, process and practice: perspectives for management education? Management Learning, London, v. 27, n. 1, p. 21-35, Mar. 1996.

TRAGTENBERG, M. Planificação: desafio do século XX. São Paulo: Senzala, 1967. 169 p.

VEZINA, M. La prévention des problèmes de santé psychologique liés au travail: nouveau défi pour la santé publique. Santé Publique, Liège, v. 20, n. 3, p. S121-S128, 2008.




DOI: http://dx.doi.org/10.25113/farol.v1i2.2516

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais



Classificação de Periódicos Qualis/CAPES (2013-2016)

 

Administração Pública e de Empresas, Ciências Contábeis e Turismo – B4
Biotecnologia – C
Ciências Ambientais – B4
Comunicação e Informação – B5
Educação – C
Engenharias III – B5
Geografia – B4
Interdisciplinar – B4
Planejamento Urbano e Regional / Demografia – B4
Psicologia – B3
Sociologia – B5


ISSN 2358-6311

 

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial 4.0 Internacional